Gente - Conheça profissionais do Turismo que têm outros negócios - Notícia - Turismo
Home

www.panrotas.com.br

Conheça profissionais do Turismo que têm outros negócios

- Gente
Karina Cedeño Karina Cedeño
Em algum momento de sua carreira no Turismo, profissionais reconhecidos do setor resolveram empreender e tocar seus próprios negócios em outras áreas. Alguns deixaram seu mercado de origem para trás, enquanto outros continuam fiéis ao Turismo ao mesmo tempo em que dirigem projetos paralelos. Mas uma coisa é comum aos casos mais emblemáticos: todos levaram, de alguma forma, uma parte do Turismo para seus novos empreendimentos, seja por meio do aprendizado ou das memórias vivenciadas.

Arquivo pessoal
Um deles é o ex-diretor executivo da Associação Brasileira de Resorts (ABR-Resorts Brasil), Ricardo Domingues (foto), que também trabalhou como gerente de Vendas Internacionais da rede Transamérica. A inquietude da personalidade o levou a buscar novos projetos e por isso ele se mudou para Florianópolis, onde atua como diretor administrativo da ONG Floripamanhã e também como coordenador do Conselho de Qualidade do hotel Jurerê Beach Village, no bairro de Jurerê, onde mora.

Nesta função, Domingues realizou uma pesquisa de mercado junto a moradores do bairro e constatou que havia uma carência de empreendimentos gastronômicos na região. Pronto. Aí estava um nicho oportuno para atuação. Ao aliar conhecimentos adquiridos em um projeto gastronômico do qual participou em Seul ao aprendizado sobre ingredientes típicos da culinária de Florianópolis que obteve em um dos projetos da ONG, Domingues resolveu abrir o próprio restaurante, o La Catarina Cevicheria, localizado em Jurerê e especializado em frutos do mar e ceviches.

Para o empreendimento recém-inaugurado, ele leva alguns aprendizados que acumulou em suas antigas funções no Turismo. “Eu consigo disseminar toda a cultura da hotelaria no bem receber dentro da gastronomia, além da sensibilidade ao lidar com os estrangeiros, grandes aprendizados que trago do tempo em que trabalhei na Resorts Brasil e na área internacional de Vendas do Transamérica”, conta o empresário.

Arquivo Pessoal de Ricardo Domingues
Detalhe do La Catarina Cevicheria
Detalhe do La Catarina Cevicheria
Prova disso são os cardápios, disponibilizados em três idiomas no La Catarina Cevicheria. “Há algumas coisas que convergem na gastronomia e no Turismo, e uma delas é o desafio de encontrar mão de obra qualificada, além da burocracia governamental imposta para gerenciar um restaurante, que é muito similar á encontrada nos resorts”, conta.

Segundo ele, a mudança de cidade e a qualidade de vida trouxeram satisfação pessoal. "Sempre ficava imaginando passar a aposentadoria na praia, então parei e refleti: por que esperar ficar velho para realizar esse desejo, se agora, com saúde, posso aproveitar muito mais?", relata o empresário.

AJUDA FINANCEIRA
Arquivo Pessoal
Quem também leva seus conhecimentos do Turismo para outros empreendimentos é o sócio proprietário da agência de viagens Travel Home, Nuno Monteiro (foto à esquerda). Após trabalhar quatro anos na Abreu como atendente, resolveu abrir um estacionamento e hoje, como sócio proprietário da agência, também toca os negócios no restaurante do pai, no centro de São Paulo.

A rotina é corrida, mas necessária para equilibrar as receitas no final do mês, já que os negócios paralelos contribuíram para aumentar sua renda. “Atualmente o mercado está em queda, já que o passageiro prefere comprar suas viagens diretamente da internet, onde encontra preços mais baratos, embora não tenha a expertise de um agente de viagens. A tendência é de que esse cenário se torne cada vez mais frequente, e por isso é necessário buscar outras fontes de renda”, conta Monteiro.

OCUPAÇÃO ÚNICA
Mas há aqueles que resolveram deixar o Turismo de vez para se aventurar em novos projetos. O filho caçula do comandante Rolim, Marcos Amaro, até chegou a seguir a carreira do pai na aviação, trabalhando como estagiário na antiga Tam (hoje Latam Airlines).

Reprodução/Facebook
O artista plástico Marcos Amaro
O artista plástico Marcos Amaro
Mas desde muito novo já era decidido e aos 21 anos resolveu abrir sua própria empresa, a Amaro Participações. A holding logo adquiriu a representação dos óculos Tag Heuer no Brasil e foi responsável pela inserção da marca no País, passando a representar outras marcas posteriormente.

“Até que surgiu a oportunidade adquirir as Óticas Carol e expandi-la para o Brasil todo. Em 2013 vendi o controle da empresa a um fundo suíço e desde então me dedico às artes visuais", conta Amaro. Além de artista plástico, ele é escultor, desenhista e participa de diversas exposições e feiras internacionais.

Ainda assim, a aviação não saiu de sua memória, e o seu processo criativo usa como base objetos aeronáuticos. "Costumo adquirir aviões antigos em desmanche e trabalhar com suas peças, ressignificando-as. O avião é transformado em arte, evocando meus sentimentos permeados pelas lembranças aeronáuticas. Desde que resolvi tocar meus próprios negócios, obtive como retorno bastante satisfação e realização pessoal ", conta o artista plástico, cujo trabalho você pode conferir aqui.

Reprodução
Uma das obras de Marcos, feita com peças de avião
Uma das obras de Marcos, feita com peças de avião


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA
CLIQUE E VOTE
© PANROTAS