Presidente da Azul aconselha trade a pensar além do Sudeste | Empresas | PANROTAS
EMPRESAS

Presidente da Azul aconselha trade a pensar além do Sudeste


Rodrigo Vieira
José Mario Caprioli, presidente executivo da Holding Azul S.A, com o presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson
José Mario Caprioli, presidente executivo da Holding Azul S.A, com o presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson
A Azul comemorou dez anos de existência e traçou o compromisso de dobrar de tamanho até o final de 2023. Em discurso otimista, o presidente John Rodgerson, agradeceu aos aproximadamente 300 convidados, em especial ao primeiro presidente da companhia aérea, Pedro Janot, e a José Mario Caprioli e toda família do fundador da Trip. Saudação especial, ainda, aos agentes de viagens, para os quais deu um recado que reflete muito o modelo de atuação da companhia aérea.

"Pensem no tamanho do Brasil. Muita gente foca apenas em Rio, São Paulo, até mesmo Brasília, e acaba se esquecendo do tamanho desse país. O Brasil tem muita oportunidade para crescer, e esse crescimento não vai acontecer nessas três cidades, mas sim no Cento-Oeste, no Nordeste, no Sul...", afirmou John Rodgerson ao Portal PANROTAS. "É lá que agentes de viagens e operadoras têm de mirar. Minha mensagem ao trade é que abram agências de viagens em todas as cidades do Brasil, pois a Azul continuará inaugurando destinos em todo o País."

A Azul tem mais de 100 destinos domésticos atendidos, é a companhia com maior alcance no País, e não à toa superou o segundo lugar no total de vendas das associadas Abracorp brigando com a Latam, sempre reconhecida como uma potência no setor corporativo. No internacional, são oito voos diretos, como Fort Lauderdale, Buenos Aires, Lisboa, Orlando, entre outros. Mas a força rumo ao Exterior está mesmo nas parcerias.
Rodrigo Vieira
Pedro Janot, o primeiro presidente da Azul, e Izabel Reis, diretora de Cargas da companhia
Pedro Janot, o primeiro presidente da Azul, e Izabel Reis, diretora de Cargas da companhia

PARCERIAS INTERNACIONAIS

"Temos de longe a melhor aérea do Brasil, e junto com os parceiros internacionais, podemos oferecer a melhor do mundo. A conectividade é o que importa e nós temos relação estreita com United, Tap e Copa para isso. O que a Tap faz no Brasil é impressionante. Voa para 11 cidades brasileiras e detém um terço de todos os assentos do País à Europa", ilustra.

Em relação à United, ele exalta não só a conectividade, mas também a confiança. "Quando a United decidiu ivnestir na Azul, ninguém queria fazê-lo. Foi por confiança, o mesmo motivo pelo qual eles resolveram ampliar a participação na companhia", aponta John Rodgerson. Neste ano, a norte-americana expandiu de 3,7% para 8% seu share na brasileira.

Os elogios foram devidamente devolvidos pelo diretor da United para América Latina, Alex Savic, que falou em sinergia. "Eles traçam estratégias muito similares às da United, mas o mais importante são as pessoas que trabalham na Azul. São profissionais muito competentes e uma equipe muito entrosada. Vejo muitas similaridades e perspectivas positivas com a parceria."

No álbum a seguir, confira mais fotos da festa de dez anos da Azul.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA