Mais corporativa, WTM espera manter resultados de 2017 | Eventos | PANROTAS
EVENTOS

Mais corporativa, WTM espera manter resultados de 2017

Emerson Souza
Luciane Leite, da WTM Latin America, em coletiva na sede da Reed
Luciane Leite, da WTM Latin America, em coletiva na sede da Reed
A sexta edição da WTM Latin America irá marcar um recomeço para a feira. Evento cada vez mais consolidado no calendário brasileiro da indústria de viagens, a feira acontecerá logo após a não renovação de contrato com a Braztoa, entidade responsável por ter um amplo espaço com cerca de 30 a 40 associados em seus primeiros cinco anos.

Com a desassociação de ambas as partes, o encontro B2B seguirá de maneira independente e trabalha na prospecção de operadores para a Tour Operators Area, terreno que irá ocupar o antigo espaço da Braztoa.

Até o momento, são 25 empresas confirmadas, dos quais 22 são membros da associação de operadores. Fala-se em fechar contrato com 32 empresas para ocuparem o terreno da planta até 3 de abril.

Há ainda 15 operadoras internacionais com estande próprio dentro do encontro. Entre as brasileiras, a Flytour MMT terá um estande significativamente grande e seu presidente, Michael Barkoczy, esteve presente para dar mais força ao segmento.

DE OLHO NOS NEGÓCIOS
A feira aposta em maior presença do corporativo para dar uma grande guinada. Até o ano passado, o espaço era praticamente ocupado pela Abracorp, a Associação Brasileira de Viagens Corporativas. Em 2018, porém, entidades como Alagev, GBTA e grupo TMG serão responsáveis por preencher uma programação completa durante os três dias de evento.

“Desde que assumi a feira, há pouco mais de um ano, fiz questão de escutar muito os nossos clientes e saber a necessidade deles. E ouvi que eles queriam mais corporativo”, disse Luciane, justificando o investimento massivo no segmento. “Mas não vamos ser uma feira corporativa. O lazer também vai estar lá”, ressaltou.

Emerson Souza
Fernando Fischer, presidente da Reed no Brasil, e Luciane Leite, da WTM Latin America
Fernando Fischer, presidente da Reed no Brasil, e Luciane Leite, da WTM Latin America

Para este ano, no entanto, o discurso adotado pelos organizadores é mais pé no chão. Segundo a própria Luciane, é ideal manter os resultados gerados ano passado. Qualquer crescimento é encarado como além das expectativas e, ainda, deve ser de menor expressão, na casa dos 5%.

Em seu quinto ano no Brasil, a WTM Latin America reuniu cerca de 600 expositores, 7.748 visitantes únicos, alta de 18% em relação a 2016, e gerou um total de US$ 374 milhões em negócios, mais de R$ 1 bilhão na conversão para a moeda brasileira.

O presidente da Reed Exhibitions Alcântara Machado, Fernando Fischer, tem praticamente o mesmo tempo de casa de Luciane. A empresa por trás da organização da feira de viagens é só elogios ao encontro entre fornecedores, compradores e agentes de viagens.

“A WTM é um case que nos ensina constantemente como se renovar. É o melhor caso que temos [na Reed] de trabalho globalmente em nosso portfólio. Nós questionamos o conceito de espaço de metros quadrados. É algo que me incomoda e levo para o futuro. Temos uma tara e obsessão por matchmaking, ou seja, gerar negócios”, avaliou ele.

Emerson Souza
Simon Mayle, da ILTM Latin America, Melanie Teixeira, da Omnibees, Danielle Roman, da Interamerican Network, Fernando Fischer, da Reed Exhibitions, Luciane Leite, da WTM Latin America, Giovanna Jannuzzelli, da Alagev, Thais del Ben, da WTM Latin America e Michael Barkoczy, da Flytour Viagens MMT
Simon Mayle, da ILTM Latin America, Melanie Teixeira, da Omnibees, Danielle Roman, da Interamerican Network, Fernando Fischer, da Reed Exhibitions, Luciane Leite, da WTM Latin America, Giovanna Jannuzzelli, da Alagev, Thais del Ben, da WTM Latin America e Michael Barkoczy, da Flytour Viagens MMT
MAIS AGENTES
A Interamerican Network é a responsável por trazer agentes de todo o Brasil para a feira. Se no ano passado, as caravanas aéreas e rodoviárias trouxeram 600 profissionais, para 2018 a meta estipulada é de 700. E a diretora executiva da empresa, Danielle Roman, já fala em ultrapassar essa marca.

Para embarcar profissionais qualificados, três empresas ajudam nesse tipo de "filtro": a Travel Ace, Rextur Advance e Flytour MMT. Para Barkoczy, aliás, juntar-se à WTM Latin America é uma forma de valorizar ainda mais esse integrante da cadeia de viagens.

“Eu digo que a WTM faz um grande evento B2B e nós, com o Hiper Feirão, fazemos um grande evento B2C. Aqui também é uma oportunidade para nós falarmos fornecedores e fazer negócios. Nós, operadores, temos ‘obrigação’ de participar da feira”, afirmou.

A WTM Latin America acontecerá em São Paulo, no Expo Center Norte, de 3 a 5 de abril.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA