CVC vende R$ 1,5 bi no lazer no 2T17 e segue crescendo | Turismo | PANROTAS
TURISMO

CVC vende R$ 1,5 bi no lazer no 2T17 e segue crescendo

Emerson Souza
O Grupo CVC acaba de divulgar os resultados operacionais referentes ao segundo trimestre deste ano. O destaque do balanço foi o crescimento de 15,7% nas reservas confirmadas da CVC Lazer e Experimento, em comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando R$ 1,5 bilhão no período.

No primeiro semestre, as reservas confirmadas do segmento chegaram a R$ 3,1 bilhões, outro crescimento, desta vez de 15,8%, em comparação com o mesmo período do ano passado. As grandes responsáveis, segundo o presidente Luiz Eduardo Falco (foto), foram as lojas próprias e franquias, que seguem valorizadas ao redor do País.

Quando o assunto são as reservas embarcadas, o total é de R$ 1,1 bilhão 2T17 e R$ 2,7 bilhões no semestre, crescimento de 14,6% versus o 2T16 e 9,8% em comparação com o primeiro semestre do ano passado. A empresa informa que o número de passageiros embarcados cresceu 11,7% no 2T17 e 9,4% no primeiro semestre deste ano.

“O crescimento da venda média das nossas lojas nos últimos 12 meses foi de 9,4%, superando a inflação de 3,6% (maio de 2017). É um resultado expressivo, diante da atual situação do País”, relatou ele, completando que o segmento internacional teve resultado animador, com incremento acima de 20% nas vendas. “A estabilidade do dólar ajuda. A oferta ainda voltou completamente, o que freia melhores resultados, mas pode-se dizer que o internacional voltou, sim”, constata o dirigente.

Divulgação
ABERTURAS DE LOJAS

Mais 32 unidades foram acrescentadas à rede CVC no último trimestre, totalizando 105 aberturas nos últimos 12 meses. Em junho de 2017, estavam em operação 1.139 lojas exclusivas CVC. Neste mesmo período houve também a abertura de sete lojas da Experimento, das quais três a partir de conversão da CVC Intercâmbio, marca que não está sendo mais trabalhada pelo grupo.

RA E SUBMARINO
As reservas confirmadas da Rextur Advance e Submarino Viagens apresentaram crescimento de 10,6% neste segundo trimestre (R$ 910 milhões de venda total das duas empresas) versus 5,1% observados no primeiro trimestre deste ano. Essa melhoria se deve à manutenção da boa performance do segmento corporativo na RA e da melhoria de performance da Submarino Viagens.

“Na Rextur Advance tivemos mais um aumento na oferta do que na demanda. Como o corporativo acompanha o crescimento do PIB, e ele está estável, não há grandes movimentações, mas, de qualquer forma, fizemos uma série de ações que geraram resultado e mostra que a sinergia desta empresa com o grupo segue sendo um fator positivo”, relata Falco.

Já no caso da Submarino, o presidente do Grupo CVC admite que ainda há muita instabilidade, mesmo cenário que enfrenta o on-line da própria CVC. “Estamos devendo uma solução mais interessante para o on-line. Estamos trabalhando para aumentar a rentabilidade deste canal e colher melhores resultados”, afirmou ele, confirmando que a área segue sem um head. O último a ocupar o cargo foi Alipio Camanzano, que deixou o grupo em fevereiro após menos de um ano de trabalho.

GRUPO CVC
As reservas confirmadas do Grupo CVC totalizaram R$ 2,4 bilhões no 2T17 e R$ 4,8 bilhões no primeiro semestre, crescimento de 13,8% versus o 2T16 e 12,8% em comparação com o primeiro semestre do ano passado.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA