OPERADORAS

Nordeste e EUA lideram nos 6 milhões de paxs Braztoa

Netto Moreira
Na home, a vice-presidente da Braztoa, Magda Nassar. Aqui, Magda e Plínio, ambos VP da entidade, com associados e parceiros
Em 2014, as operadoras associadas à Braztoa movimentaram R$ 11,8 bilhões em vendas, 6,65% a mais que em 2013, e embarcaram seis milhões de passageiros, acréscimo de 1,86% em relação ao ano anterior. Em coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje para apresentar os números do Anuário Braztoa 2015, no Hotel Tryp, em São Paulo, a vice-presidente Magda Nassar disse que “foi um ano de muitos desafios com a realização da Copa do Mundo, das eleições e do início da alta da moeda americana”, mas, ela ressalta que “foi um crescimento satisfatório”.

Os números relacionados a 2013 apontaram R$ 11,1 bilhões e 5,9 milhões de passageiros. Segundo a VP da Braztoa, “é natural que o crescimento tenha sido um tanto tímido, uma vez que registrávamos números altos devido a uma economia positivamente surreal até o ano de 2010”. O também vice-presidente da associação presente na ocasião, Plínio Nascimento, apontou que o mercado doméstico equivale a 68,4% (+2,7%), faturando R$ 6 bilhões, enquanto o internacional corresponde a 31,6% do total, sofrendo uma queda de 0,05%, e registrando R$ 5,4 bilhões da fatia.

NORDESTE LIDERA
De acordo com Nascimento, o Nordeste brasileiro é o destino favorito do viajante brasileiro, com R$ 2,6 bilhões, ainda que tenha sofrido um ligeiro decréscimo de 1,95% em comparação com 2013. As regiões Norte e Centro-Oeste representam juntas R$ 197 milhões (+9,44%), Sudeste tem R$ 673 milhões (+10,69%) e o Sul totaliza R$ 581 milhões (+16,20%).

O dirigente, porém, critica o que ele considera a “pouca procura” do brasileiro para conhecer a região do Sul. “O brasileiro é um ponto que não conhece o próprio País”.

No que diz respeito ao mercado internacional, a América do Norte apresentou um leve crescimento de 0,02%, faturando, assim R$ 545 milhões do total. Em seguida, o continente europeu correspondeu a R$ 511 milhões (-0,39%), seguido por América do Sul, com R$ 411 milhões (+4,31%), América Central, R$ 359 milhões e uma queda considerável de 6,51% e, finalmente, África, Ásia e Oceania totalizam R$ 73 milhões e um incremento de dois dígitos (+19,67%).

Segundo Nascimento, “o brasileiro tem mais vontade de conhecer destinos exóticos e ‘desconhecidos’ do grande público”, pontuou, em referência aos roteiros feitos em países africanos, asiáticos e oceânicos.

O Anuário Braztoa 2015 e as edições anteriores podem ser conferidos aqui.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA