Seguir o compliance é fundamental para sucesso do evento

|

O compliance em eventos é hoje algo muito presente dentro das empresas. Seja para alinhar processos ou cumprir normas legais e regulamentares estabelecidas para o negócio e para as atividades das companhias, ele é muito importante para que haja um relacionamento de respeito entre as partes envolvidas.

Shutterstock
“De maneira simplificada, enxergo o compliance como uma questão de ética. A palavra é um pouco recente, mas a conformidade, estar dentro dos conformes, sempre existiu. É preciso ter ética ao lidar com o cliente e fornecedor e ter respeito entre as relações”, afirma a proprietária da Evento Único, Roberta Nonis.

Em eventos médicos e farmacêuticos, é ainda mais importante por existir todo o aspecto de respeito à vida. “Ao convidar um médico que apresentará um conteúdo, toda a logística oferecida tem regras a serem seguidas. Ele não pode ganhar o benefício de passar o fim de semana em um spa ou resort se for realizar uma palestra de duração de duas horas na sexta-feira, por exemplo. O que pode acontecer é ele ser beneficiado e se sentir na obrigação de prescrever o medicamento de uma certa empresa, mesmo sabendo que o de outra seja mais eficaz. É uma questão muito delicada”, explica Roberta.

Divulgação
Thais Santos, da  Merck Sharp & Dohme
Thais Santos, da Merck Sharp & Dohme
É por isso que um departamento de conformidades é essencial nessas empresas – e de outros setores também. “Este é um tema indiscutível. A indústria farmacêutica é regulamentada por vários órgãos nacionais e internacionais. Precisamos ter uma área bem estruturada para nos guiar nas ações que fazemos, seja com médicos ou internamente com os funcionários e departamentos”, conta a gerente de Eventos, Viagens e Cartões para Brasil da Merck Sharp & Dohme, Thais Santos.

Segundo a gerente de Eventos da Merck, no início, quando não havia um departamento específico dentro da empresa para o compliance, cerca de cinco anos atrás, a implementação foi um pouco complicada, assim como informar o que podia e o que não podia fazer. Agora é algo que faz parte da rotina e da cultura da corporação. Na farmacêutica americana, este departamento envolve todas as áreas internas, como a jurídica, de Operações, Viagens e Eventos, todo o negócio em si. Ele não só é essencial para a realização dos eventos, como todas as estratégias da empresa são direcionadas de acordo com as orientações estipuladas.

Jhonatan Soares
Roberta Nonis, da Evento Único
Roberta Nonis, da Evento Único
“Não há como trabalhar sozinho, e com médicos é muito mais importante, devido a todas as regulamentações que não só a companhia tem, como também a sede nos Estados Unidos, além das entidades que temos que seguir. “ Na realização de um evento, é importante que todas as áreas da empresa estejam alinhadas e que trabalhem em parceria. Todas as políticas, regras e mudanças no mercado têm de ser compartilhadas com os setores. “Com o entendimento entre todas as partes envolvidas dentro da corporação, é possível garantir o objetivo desejado dentro das regras”, salienta Thais.

TODOS OS ENVOLVIDOS
Para a proprietária da Evento Único, uma dificuldade para a implementação é caso haja um grande número de pessoas envolvidas no processo. “Em um evento, eu contrato uma agência, que contratará outras cinco empresas, que vão negociar com mais cinco. É uma rede muito grande, que cada pedaço exige expertise. Uma das companhias pode estar fora dos conformes e isso prejudicará todas as partes.”

Percebe-se cada vez mais que a preocupação no mercado de eventos em seguir regras e estar nos conformes vem crescendo a cada dia. Clientes e contratantes estão entendendo que, se não agirem de forma correta, honesta e respeitosa, negócios poderão ser prejudicados. Assim, será possível eliminar, quem sabe, de uma vez por todas, o conceito de levar vantagem de algum dos lados.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA