AEROPORTOS

Ocean Air assume aviões e vôos da BRA

|

Netto Moreira
A empresa aérea BRA, que passa a ser operada pela Ocean Air, segundo confirmação da Anac e do Ministério da Defesa, volta a oferecer vôos a partir deste final de semana. Por enquanto, somente vôos fretados serão liberados. A informação foi dada hoje (9) pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, após visita ao 3º Comando Aéreo Regional (Comar), no Rio de Janeiro. A apuração é da Agência Brasil.

Segundo a assessoria de comunicação do ministério, o acordo firmado entre as duas empresas e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) prevê que se os documentos forem aprovados, após análise jurídica, a BRA voltará a operar vôos normais a partir da próxima semana.

Outra cláusula do acordo, segundo o ministério, é que os funcionários da BRA não podem estar de aviso prévio, que deve ser revertido. O acordo tem a duração de 90 dias.

A assessoria de comunicação da Ocean Air informou que os detalhes seriam revelados em uma entrevista coletiva na próxima segunda-feira (12), em São Paulo.

Mas no início da noite, a Anac divulgou nota detalhando o que ficou acertado. Segundo a agência, os usuários que adquiriram pacotes turísticos para este fim de semana serão atendidos por três aeronaves, duas da BRA e uma da Ocean Air, todas sob responsabilidade da Ocean Air, de German Efromovich.

"Pelo acordo firmado, os dois aviões da BRA vão operar com tripulação da BRA e todos os envolvidos, como mecânicos, tripulação, despachantes e outros, não poderão estar sob aviso prévio. Em todos os vôos com aviões da BRA, haverá um inspetor da Anac", detalha a nota.

Outro trecho informa que, nesta primeira fase, o acordo está restrito aos vôos não regulares (fretados). "A Anac, o Ministério da Defesa, as duas companhias aéreas, além da Infraero e do Decea [Departamento de Controle do Espaço Aéreo], estão estudando a melhor forma para que o acordo seja o mais amplo possível, permitindo, já no início da semana, à Ocean Air operar os vôos comerciais regulares da BRA com aeronaves e tripulação da própria BRA", finaliza a nota.
Hoje, o presidente da Webjet, Paulo Enrique Coco, disse que a companhia poderia assumir aeronaves da BRA.

Vale lembrar que Ocean Air e BRA já ensaiaram um code-share que não deu muito certo. Essa é a chance da Ocean Air ver seu plano de crescimento ganhar musculatura, já que a empresa deve chegar a cerca de 8% de market-share com a integração da BRA.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA