Como aliar viagens corporativas e saúde? Confira dicas

|


Fit Approach/Flickr

A Associação de Viagens dos Estados Unidos publicou um documento divulgando que mais de 459 milhões de viagens a negócios ocorreram em solo norte-americano em 2015. Conforme o mundo pede para que a economia mundial melhore e mais viagens acontecem para que isso ocorra - uma vez que muitas vezes fomentam futuros negócios - , mais gente conhece lugares inesquecíveis graças ao trabalho.

As viagens a trabalho, contudo, também cobram sua conta a quem não se cuida. Por isso, quem viaja constantemente precisa ficar atento a certos hábitos, como os sugeridos pelo fundador da consultoria de saúde Total Wellness, Alan Kohll:

NUTRIÇÃO:
"É quase certeza que você vai precisar comer fora na maioria das viagens a trabalho, e a maior parte dos restaurantes carrega ingredientes 'não tão saudáveis' em porções generosas. Em seus dias de trabalho na viagem, fast food e drive-thrus seduzem pela praticidade. Tire um dia para comidas pouco saudáveis com um happy hour e tira-gostos e você já cumpriu a cota de 'porcarias'."

O especialista frisa que comer adequadamente durante a viagem não é impossível - mas pede alguma precaução e foco. O primeiro passo é se hidratar (happy hour não conta para isso!). "É importante beber água quando você não está na sua rotina de sempre, já que o hábito facilita que seu corpo se livre do que não faz bem ou do que você normalmente não ingere."

"Paralelamente, opte por refeições mais leves e balanceadas. Na dúvida, escolha 'comida de verdade', como frutas, vegetais e carne com pouca gordura."

Kohll alerta ainda para o planejamento, ainda que mínimo, das refeições. "Pensar em comer só quando o estômago ronca diminui o leque de escolhas. Verifique que restaurantes você pode fazer um pit-stop no caminho e quando poderá fazê-lo. Se tiver um frigobar na suíte, abasteça com petiscos saudáveis."

William Franklin/Flickr
Alan Kohll, consultor de saúde


EXERCÍCIOS:
Na maioria das vezes, viajar significa não fazer exercícios por uns dias. Sentar em um carro, um trem ou um avião ou uma cadeira de reunião são atividades sedentárias. Mas quando de volta ao hotel, essas atividades mostram seu efeito e o cansaço bate - e a academia de aparelhos nada familiares aos da academia do bairro se tornam ainda menos atraentes.

"Permanecer ativo exige programação", alerta Kohll. "Você provavelmente tem reuniões, tours e jantares marcados ao longo da missão. Torne os exercícios físicos outro compromisso de agenda. Dificilmente hotéis não têm salão de ginástica, mas, no pior dos casos, vídeos de exercício para se fazer em casa são facilmente encontrados na internet."

Se a agenda for realmente apertada e sólida, sempre há uma forma de se exercitar - basta escolher a escada em vez do elevador, ou fazer das reuniões boas caminhadas. "Se sobrar algum tempo em uma cidade nunca visitada, caminhe", sugere o consultor.

SAÚDE MENTAL:
Viajar a trabalho envolve habilidade para lidar com uma programação incomum. O viajante pode ficar sem dormir o quanto costuma - ou ter que gerenciar o tempo de trabalho com o tempo dedicado, ainda que à distância, à família. O estresse pode aumentar nas viagens, e, por conseguinte, diminuir a produtividade.

"A única forma de minimizar o estresse durante as viagens é se preparando. Quanto melhor programado o itinerário, melhor", frisa Kohll. "Também é importante fazer as malas detalhadamente, para evitar preocupação extra."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA