PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Gastos com viagens de negócios na China estão em ascensão

Divulgação/ CITS American Express Global Business Travel
Kevin Tan, vice-presidente da CITS American Express
Kevin Tan, vice-presidente da CITS American Express
A CITS American Express Global Business Travel, uma aliança entre a American Express Global Business Travel e a China International Travel Service, divulgou hoje a Pesquisa de Viagem de Negócios da China de 2018 (o Barômetro). Nele revelou que, nos próximos 12 meses, 45% das empresas chinesas esperam ter um aumento de gastos com viagens de negócios.

Apesar da volatilidade e da incerteza na economia global, a perspectiva das empresas chinesas é um dos indicadores mais fortes de confiança corporativa relatados há 14 anos, quando a pesquisa foi criada.

A parcela de despesas com viagens de negócios alocadas para viagens domésticas na China (versus internacionais) aumentou em 18%, em comparação com o ano passado. Isso indica que o nível de atividade comercial nas cidades de nível dois e nível três na China continental está aumentando.

Uma pesquisa conduzida pela Economist Intelligence Unit (EIU) revelou que as cidades do interior e emergentes da China devem ultrapassar as principais cidades no crescimento anual do PIB nos próximos três anos, criando novas e atraentes oportunidades de negócios para as empresas locais.

Diante deste novo cenário, o vice-presidente da CITS American, Kevin Tan, acredita que os agentes devem se capacitar, buscar ferramentas adequadas para iniciar estes profissionais no universo das viagens corporativas.

Quando comparados a 2017, as três principais preocupações na mente dos viajantes de negócios chineses, de acordo com o Barômetro, permanecem as mesmas: a complexidade nos processos de reembolso (49%) e condições de viagem muito rigorosas (37%).

"Esses números destacam uma oportunidade de desenvolver processos mais simples e mais enxutos para aumentar a satisfação dos viajantes corporativos e a eficiência dentro da empresa. Se os viajantes corporativos não conseguirem lidar com estas ferramentas, haverá uma redução no orçamento para tal", afirmou o executivo.

Considerando a quantidade significativa de mudanças ocorridas na indústria de viagens da China , tanto em termos de oferta quanto de demanda, vale notar que 45% dos gerentes de viagens chineses acreditam ter conhecimento limitado sobre como gerenciar um programa de viagens nas atuais condições de negócios.

"Trem ou avião, qual é a mais eficiente para viagens domésticas? Vistos internacionais? Acesso à economia global? Para os agentes de viagens sem experiência nestas áreas, a curva de aprendizado pode ser íngreme, por isso é importante saber quando terceirizar os principais requisitos de negócios", defendeu Tan.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA