Bruno Hazov   |   15/12/2023 13:35

Paraná tem 2ª maior evolução no setor de serviços em 2023

Índice de atividades turísticas teve o terceiro melhor resultado do Brasil no ano, com aumento de 12,7%

Prefeitura de Pontal do Paraná
Pontal do Paraná foi o segundo destino mais buscado no verão 2023 no estado do Paraná
Pontal do Paraná foi o segundo destino mais buscado no verão 2023 no estado do Paraná

O Estado do Paraná registrou um crescimento de 11,7% no setor de serviços com destaque para o segmento de Turismo, segundo dados divulgados na Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE. Com os resultados, o Paraná teve a 2ª maior evolução no setor no ano de 2023, atrás apenas do Mato Grosso.

Os segmentos que mais puxaram o crescimento foram o de serviços profissionais e administrativos, como publicidade, engenharia, arquitetura e agências de viagens (16,7%), transporte, como passagens aéreas, estacionamento de veículos, táxi, entre outros (13,5%), Turismo (12,7%), serviços prestados às famílias, como cabeleireiros, parques temáticos e lavanderias (6%) e serviços de comunicação e informações, como operadoras de TV, programas de computador e atividades de rádio (4,8%).

No acumulado dos últimos 12 meses a evolução do setor de serviços no Paraná foi de 10%, atrás do Mato Grosso (17,2%), Tocantins (11,8%) e Paraíba (11%). O setor de serviços no Paraná superiou a média nacional, que ficou em torno de 3,6%. Também houve crescimento na receita do setor, que evoluiu 13,7% no Paraná no período, praticamente o dobro da média nacional (6,9%). No comparativo financeiro mensal, a evolução foi de 11,1%.

Crescimento das atividades turísticas

Já o índice de atividades turísticas do Paraná teve o terceiro melhor resultado do Brasil no ano, com aumento de 12,7%, atrás apenas de Minas Gerais (17,1%) e Bahia (13,7%). A média nacional foi de 7,9% no período. Santa Catarina registrou crescimento de 7,1% no período e o Rio Grande do Sul, 3,5%.

Na comparação outubro de 2023 / outubro de 2022, o índice de volume de atividades turísticas no Paraná apresentou expansão de 12,2%, a 31ª taxa positiva seguida no comparativo mês/mês. A última variação negativa nesse recorte foi em março de 2021, justamente no comparativo com março de 2020, na chegada da pandemia de covid-19.

Tópicos relacionados