Filip Calixto   |   07/06/2024 14:58
Atualizada em 07/06/2024 14:59

Aena entrega ciclo de reformas no aeroporto de Aracaju

Embarque foi transferido para o primeiro andar e ganhou mais do dobro do espaço


Divulgação/Aena/Eduardo Freire
Com as melhorias estruturais do aeródromo sergipano, a Aena fecha as entregas da fase 1B do contrato de concessão dos equipamentos do Nordeste brasileiro
Com as melhorias estruturais do aeródromo sergipano, a Aena fecha as entregas da fase 1B do contrato de concessão dos equipamentos do Nordeste brasileiro

Um terminal inteiramente climatizado, com isolamento acústico, dois fingers e nova área internacional espera os visitantes e moradores da capital sergipana a partir de hoje (7), quando a Aena inaugura as obras do Aeroporto Internacional de Aracaju. Participam da solenidade a diretoria da Aena, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, representantes da Anac, da Secretaria de Aviação Civil, do governo do estado de Sergipe, da prefeitura de Aracaju, além do trade turístico local.

"Com a inauguração em Aracaju, a Aena conclui a etapa de reestruturação dos seis aeroportos que administra no Nordeste brasileiro desde 2020, dando uma contribuição efetiva para o desenvolvimento turístico e econômico de toda a região. Estamos trabalhando para levar o padrão Aena, agora já reconhecido pelos brasileiros, também aos onze aeroportos do bloco SP/MS/PA/MG, que inclui o de Congonhas, segundo maior do Brasil", afirma diretor presidente da Aena Brasil, Santiago Yus. Hoje a concessionária é responsável por cerca de 20% do tráfego aéreo nacional, realizando investimentos que ultrapassam R$ 8 bilhões no país.

Divulgação/Aena/Eduardo Freire
Reforma procurou deixar a circulação de passageiros mais acessível e confortável com os dois novos fingers, escadas rolantes e elevadores
Reforma procurou deixar a circulação de passageiros mais acessível e confortável com os dois novos fingers, escadas rolantes e elevadores

Terminal de passageiros

O aeródromo de Aracaju ganhou um novo projeto arquitetônico, com uma decoração que inclui três painéis com pinturas que retratam paisagens e o folclore de Sergipe. Transferida para o primeiro andar, a área de embarque foi mais que duplicada, passando de 735 metros quadrados para 2,2 mil metros quadrados. Já o desembarque aumentou de 785 metros quadrados para 1,15 mil metros quadrados. O terminal passou a contar com duas pontes de embarque (fingers) que, junto com as novas escadas rolantes e elevadores, proporcionam mais conforto e acessibilidade para os passageiros.

A Aena ainda adquiriu equipamentos tecnológicos e implantou aparelhos e sistemas para modernizar o embarque e reduzir. Foram instalados leitores eletrônicos de cartões de embarque, sistemas automatizados de bagagem, monitores do sistema informativo de voos e preparação para inspeção de volumes por raios-X.

Além disso, toda a infraestrutura ganhou novas câmeras de segurança. Uma sinalização mais intuitiva em todo o terminal melhora o fluxo de passageiros, reforçados por nova pintura, iluminação e adaptações de acessibilidade. Também foi realizada a renovação completa dos banheiros.

Divulgação/Aena/Eduardo Freire
Foram instalados leitores eletrônicos de cartões de embarque, sistemas automatizados de bagagem e mais novidades tecnológicas
Foram instalados leitores eletrônicos de cartões de embarque, sistemas automatizados de bagagem e mais novidades tecnológicas

Outro destaque da renovação do Aeroporto de Aracaju é o investimento nas melhorias com foco na sustentabilidade, com uso de energia 100% renovável, otimização da coleta e reaproveitamento de água, dentro dos padrões internacionais de respeito ao meio ambiente, que são uma das assinaturas da Aena.

Pista e pátio

O chamado “lado ar”, que engloba pistas de taxiamento, de pouso e decolagem, e pátios de estacionamento de aeronaves, também recebeu investimentos, ganhando aumento na segurança operacional. O pátio teve o pavimento recuperado, recebeu torres de LED para iluminação e uma posição adicional, ficando com sete.

Divulgação/Aena/Eduardo Freire
Administradora afirma que pátios e pista estão mais seguros, com iluminação em LED, áreas de escape protegidas nas duas cabeceiras e pavimento recuperado
Administradora afirma que pátios e pista estão mais seguros, com iluminação em LED, áreas de escape protegidas nas duas cabeceiras e pavimento recuperado

A pista tem nova sinalização, iluminação de balizamento em LED e áreas de escape protegidas nas duas cabeceiras (RESAs, sigla para áreas de segurança de fim de pista, do inglês runway end safety areas) e equipamento de auxílio na navegação PAPI (precision approach path indicator). Para reforço na segurança, foi implementada uma via de emergência ligando a seção de combate a incêndio à pista de pouso e decolagem e a área para equipamentos de apoio aos voos (chamada área de rampa) foi ampliada.


Tópicos relacionados