EMPRESAS

De Brasília ao Multiplus, 4 mudanças da Latam para o viajante corporativo

A Latam Airlines já vem há um ano investindo na reconquista do viajante corporativo no Brasil e os primeiros resultados começam a aparecer este ano. Conversamos com exclusividade com o presidente da empresa, Jerome Cadier, e o diretor de Vendas Indiretas e Marketing, Igor Miranda. Confira abaixo os principais pontos que prometem agregar valor a esse cliente, além de novidades que vêm por aí.


Emerson Souza
Jerome Cadier, presidente da Latam Airlines Brasil
Jerome Cadier, presidente da Latam Airlines Brasil

OPERACIONAL REDONDO

1 - A Latam Airlines Brasil vem mantendo a liderança operacional em pontualidade e regularidade desde o fim do ano passado. São 311 dias de liderança. “Tivemos um 2017 e um começo de 2018 realmente complicado, mas todo o grupo já está com operação impecável e o Brasil é ainda melhor em pontualidade que o grupo”, diz Cadier. “Vale destacar que a aviação nacional como um todo tem se destacado pela pontualidade e é muito gratificante ter essa liderança, pois há situações que não dependem só de nós. É uma equação que envolve aeroporto, ter um itinerário bem estruturado, relacionamento com o setor de ground handling, processos ágeis de check-in e embarque, alinhamento de tripulantes...”, analisa.

Igor Miranda acrescenta que diversos procedimentos operacionais foram mudados, com ênfase nos viajantes corporativos, mas que acabam beneficiando a todos. Por exemplo, o embarque por grupos, com rigor na checagem pelos funcionários. “No grupo 1, os passageiros com os tiers mais altos na (fidelidade à) companhia estarão sozinhos. Nunca será uma fila com mais de seis, sete passageiros. No grupo 2, as categorias seguintes e por aí vai. Isso facilita o embarque de todos e garante que realmente os passageiros com cartão de fidelidade mais altos entrem primeiro”, explica.

Mas e quando o embarque é via posição remota, algo muito comum em Congonhas? Miranda garante que o Grupo 1 sempre terá uma van ou ônibus exclusivos. Em CGH, o processo já foi implantado, assim como a chegada da bagagem primeiro na esteira de desembarque. “Deu certo em Guarulhos e Congonhas e agora vamos levar a todo o Brasil”.

Outras mudanças, como em serviço de bordo, no aplicativo e na cabine doméstica, serão anunciadas em breve, de acordo com o diretor de Vendas.


Edgard Cesar
Mudanças em BSB
Mudanças em BSB

NOVOS HORÁRIOS EM BRASÍLIA

2 – A companhia fez uma primeira mudança em seu hub em Brasília, para que os horários dos voos beneficiassem os viajantes corporativos. Segundo Miranda, o hub na capital federal foi pensado para ligar o País, como distribuição de voos. E com isso, alguns horários que seriam nobres para o viajante corporativo acabavam negligenciados. Mudando o foco para o share de passageiros frequentes a negócios, a Latam, desde 5 de agosto, diminuiu o banco de conexões de quatro para três e passou a oferecer mais horários para o passageiro corporativo que vem do Sudeste, Norte ou Nordeste.

O mesmo tem ocorrido em Guarulhos, onde o corporativo internacional conecta na chegada de outros países da América Latina ou nos voos de longo curso. Em GRU e no Santos Dumont, a Latam lançou ainda novos voos com viés corporativo, nos slots herdados da Avianca Brasil. “Guarulhos tem um fluxo corporativo importante para o Nordeste e 95% de todo o internacional a negócios, por isso é uma de nossas prioridades e, vale lembrar, o principal hub do grupo na América Latina”, continua Miranda.

Outro aeroporto que deve ter mudanças de malha e horários Latam é Fortaleza. Os ajustes, segundo Jerome Cadier, serão feitos até outubro. “Seremos a melhor opção para o passageiro corporativo”, garante.

Emerson Souza
Igor Miranda, diretor de Vendas
Igor Miranda, diretor de Vendas

FIDELIDADE EM CASA

3 – O Multiplus repaginado, com novo nome e agora dentro da Latam (com investimento de R$ 300 milhões) será um dos trunfos para o viajante corporativo e demais passageiros da companhia. “Temos o melhor programa de fidelidade e agora vamos comunicar isso melhor, com uma campanha, e com o programa agora dentro da Latam (antes era uma empresa independente)”, afirma Igor Miranda.

“O programa de fidelidade estará alinhado com os interesses da companhia aérea. Trocar pontos por uma lavadora não me ajuda, os pontos têm que circular na aérea”, explica Jerome Cadier. Segundo ele, os sistemas já estão conectados e nas próximas semanas, depois de alguns ajustes, o novo programa será lançado, mostrando todos os benefícios para o cliente.


Emerson Souza
Cadier testa a nova executiva
Cadier testa a nova executiva

PRODUTOS NOVOS

4 – As novas cabines do Boeing 777 (dez no Brasil) e dos Airbus 320 e 321 (para o doméstico, com cerca de 80 aeronaves a serem modificadas) já foram apresentadas em um evento no CML, em Guarulhos. “Teremos a melhor cabine de executiva no internacional e no doméstico ainda virão novidades que não posso adiantar ainda”, disse Miranda. Além dos 777, os Boeing 787 também terão as cabines reformadas, assim com os 767 dos mercados de língua espanhola (os do Brasil dependem ainda de possíveis mudanças de legislação em relação ao trabalho dos aeronautas). Já o A350, avião mais recente da frota da Latam, segue com sua configuração atual, inclusive sendo colocado em mais rotas, como Lisboa, descrita por Cadier e Miranda como uma das mais rentáveis e procuradas na malha internacional da empresa.

Leia mais sobre os novos produtos Latam aqui.

QUANDO OS RESULTADOS VIRÃO?
Igor Miranda diz que as mudanças na Latam seguem pelo próximo ano e que o passageiro já começa a sentir essa nova empresa. “Hoje já somos muito eficientes no corporativo, pois temos um Market-share superior à nossa oferta para esse segmento, mas concordo que a Tam tinha uma imagem mais forte e reconhecida nesse segmento. Com essa nova companhia, fruto das mudanças e de mais de R$ 1 bilhão de investimentos, em processos, tecnologia e produtos, essa imagem voltará”, diz.

Miranda também promete mais agilidade nas entregas, como na parte de tecnologia. “Agora criamos duas equipes para digital, uma para melhorias e outra para inovações. Vamos lançar uma nova plataforma tecnológica que vai aumentar a velocidade de plug in. Hoje, vale lembrar, que qualquer produto é multiplicado por oito, dez, pois atuamos em seis mercados domésticos, temos inúmeros meios de pagamento, mas essa estrutura vai trazer agilidade sim. Aguardem muitas novidades. É uma nova empresa e estamos confiantes nos resultados”, finaliza.


Emerson Souza


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA