American registra perda líquida de US$ 2,1 bi no 2º tri

|

Divulgação
Hoje (23), a American Airlines divulgou seus resultados financeiros do segundo trimestre de 2020. No período, a aérea registrou uma perda líquida de US$ 2,1 bilhões ou US$ 4,82 por ação. A companhia também aumentou a liquidez disponível em US$ 3,6 bilhões no trimestre, por meio de ofertas de ações ordinárias, títulos conversíveis e títulos garantidos, terminando o período com aproximadamente US$ 10,2 bilhões de liquidez disponível.

"Este foi um dos trimestres mais desafiadores da história da American", afirmou o presidente e CEO, Doug Parker. “O covid-19 e o resultante desligamento da economia americana causaram graves interrupções na demanda global por viagens aéreas. Apesar desses desafios, a equipe da American Airlines fez um trabalho fenomenal, cuidando de nossos clientes e de nossos colegas", completou.

"Agimos rapidamente para melhorar nossa liquidez, economizar dinheiro e garantir que os clientes estejam seguros quando viajam. Há muita incerteza pela frente, mas continuamos confiantes de que sairemos dessa crise mais ágil e mais eficiente do que nunca", continuou Parker.

A American continua a tomar medidas para reduzir custos e preservar dinheiro. A companhia aérea estima que reduzirá seu total de gastos operacionais e de capital em 2020 em mais de US$ 15 bilhões, alcançada principalmente por meio da economia de custos resultante de menos voos. Além disso, a empresa implementou algumas ações.

Entre elas, aposentou quatro tipos de aeronaves, consistindo em 20 Embraer 190s, 34 Boeing 757s, 17 Boeing 767s e nove Airbus A330-300s, juntamente com várias aeronaves regionais mais antigas. Além disso, a empresa colocou seus Airbus A330-200 e alguns Boeing 737 mais antigos em um programa de armazenamento temporário. No total, essas alterações removem mais de 150 aeronaves da frota e proporcionam economia de custo e eficiência associadas à operação de menos tipos de aeronaves.

A companhia também introduziu programas adicionais de licença voluntária e de saída antecipada para ajudar a dimensionar corretamente sua equipe de linha de frente. A American prevê ter mais de 20 mil membros do que o necessário para operar seu cronograma de queda. No total, mais de 41 mil membros da equipe optaram por uma aposentadoria antecipada, um horário de trabalho reduzido ou uma licença parcialmente paga.

A demanda e os fatores de carga dos passageiros melhoraram desde o ponto mais baixo em abril, mas continuam significativamente abaixo dos níveis de 2019. Embora as tendências de receita de maio e junho tenham sido animadoras, a demanda enfraqueceu um pouco durante julho, com o aumento dos casos de covid-19 e novas restrições de viagens A empresa continuará a equiparar sua capacidade futura com as tendências observadas de reservas e atualmente espera que a capacidade do sistema no terceiro trimestre caia aproximadamente 60% ano a ano.

Confira o comunicado e os resultados completos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA