Gol almeja recuperar totalmente a capacidade em CGH e SDU

|

Este ano, a Gol Linhas Aéreas focará na retomada de bases que tiveram voos suspensos por conta da pandemia e a abertura de novas bases, além da expectativa pelo retorno das viagens. Seja em viagens a lazer ou corporativas. A aérea, inclusive, acredita em uma recuperação plena das viagens corporativas, puxada principalmente pelos setores de agronegócio, óleo e gás, além de serviços como um todo.

PANROTAS / Emerson Souza
Renzo Rodrigues de Mello, da Gol
Renzo Rodrigues de Mello, da Gol
"Em 2022, a Gol está investindo para recuperar totalmente a capacidade de voos nos aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) a partir do segundo trimestre, com operações de alta frequência ao longo do dia ligando os dois aeroportos aos principais centros de negócios e Turismo do País. Manteremos nossa estratégia de ampliar a capilaridade de rotas e destinos nos maiores hubs da empresa - Guarulhos e Brasília. No Nordeste, a companhia investirá aumentando a oferta em seus principais mercados, como Salvador, Fortaleza, Recife, Maceió, Natal e Porto Seguro, entre outros. Neles, a companhia ampliará a oferta com novos voos diretos para cidades nas regiões Sul e Sudeste como forma de atender ainda melhor os seus clientes que buscam viajar para a região", afirmou o diretor de Canais de Vendas da Gol, Renzo Rodrigues de Mello.

Em território brasileiro, a Gol passou a operar em dezembro rotas entre Congonhas (SP) e Bonito (MS), e entre Guarulhos (SP) e Cabo Frio (RJ). Já em janeiro, no dia 17, a aérea estreou voos diretos entre Pelotas (RS) e Guarulhos (SP), estabelecendo a ligação do interior gaúcho com o Brasil e o mundo. Outros três novos destinos no Rio Grande do Sul serão também atendidos pela Gol a partir do segundo trimestre de 2022: Uruguaiana, Santo Ângelo e Santa Maria.

Com relação à retomada internacional, a Gol retomou no dia 9 de janeiro, as decolagens de Belém para Paramaribo, capital do Suriname. A partir do segundo trimestre de 2022, volta a se conectar com outros três países: Estados Unidos, Paraguai e Bolívia.

Orlando (MCO) e Miami (MIA), no Estado da Flórida, nos Estados Unidos, são as cidades que voltam a receber voos da Gol a partir de 13 e 17 de maio, respectivamente, com saídas do aeroporto de Brasília, um dos hubs da empresa. E, a partir do dia 9 de abril, os clientes Gol poderão voar novamente para Assunção, capital do Paraguai, e a partir do dia 5 de maio, para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

CORPORATIVO
Renzo Mello também explicou que a companhia está atenta à demanda corporativa, importante parte do negócio. "Naturalmente há uma correlação desse tipo de viagem com as flutuações da pandemia e a realização de eventos ou abertura gradual dos escritórios, por exemplo. Atualmente as pequenas e médias empresas lideram a retomada corporativa, mas ainda há oportunidade de recuperação das grandes empresas multinacionais que seguem políticas globais de viagens", afirmou.

A Gol acredita que o Brasil vai liderar a volta corporativa por suas características culturais e geográficas. "Já temos observado a retomada da demanda para destinos como Brasília, Rio e Porto Alegre, que têm um perfil de viagem mais corporativo. Numa comparação com o pré-covid, a Gol acredita que até o final do primeiro semestre de 2022, graças à vacinação que segue avançando no Brasil, poderemos ter padrões de viagens parecidas ao período pré-pandemia", concluiu.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA