Sky estuda voo entre Brasil e Peru para o segundo semestre

|


Divulgação
Em entrevista ao portal argentino La Agencia de Viajes, do Ladevi, parceiro da PANROTAS na América Latina, o gerente geral da Sky Peru e diretor de Operações da holding chilena, José Raúl Vargas, falou sobre as oportunidades de crescimento em 2022, inclusive possíveis voos, no segundo semestre, entre o Brasil e o Peru.

“Nossa visão é ser a low cost da América do Sul e isso implica em desenvolver a melhor malha possível de destinos entre todos os nossos países: Peru, Chile, Brasil, Argentina e demais. Começamos com as cidades de maior volume, com conexões ponto a ponto”, explica ele. “Em um momento pós-pandemia não há alternativa a não ser começar pelas capitais. Desde Santiago voamos a 8 destinos no Peru, na Colômbia e Argentina e no Brasil.” Depois de consolidar esse fluxo entre as principais cidades, será hora de partir para outros destinos, segundo ele.

A companhia voa de Santiago para o Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis, este último um destino sazonal, e tem a previsão do voo entre Brasil e Peru no segundo semestre. “Ainda não confirmamos esse voo pois estamos monitorando e analisando a demanda, que agora é algo muito complexo”, disse Vargas.

Ladevi/Sky
O gerente geral da Sky Peru e diretor de Operações da holding chilena, José Raúl Vargas
O gerente geral da Sky Peru e diretor de Operações da holding chilena, José Raúl Vargas
Ainda de acordo com a entrevista, o diretor da Sky Airlines acredita que, como em outras crises, as low cost são as primeiras a se recuperar. Essa recuperação já é vista no Turismo doméstico e em segundo lugar no Turismo étnico. “Há 400 mil peruanos vivendo no Chile, 350 mil na Argentina, há argentinos em Lima e Santiago, o tráfego étnico é numeroso.” Para o internacional, que vai demorar mais a voltar, o executivo espera que não haja mais fechamento de fronteiras e novas variantes para assombrar o setor.

A companhia low cost fechou 2021 com 28 aeronaves, 21 baseadas no Chile e 7 no Peru. A previsão é chegar a 2024 com 40 aviões, incluindo o A321 XLR, que permitirá que a companhia chegue ao Caribe e Miami (desde Santiago) e Nova York, Los Angeles e Canadá (saindo do Peru). “Sonhamos com uma tarifa de US$ 200 entre Santiago e Miami.”
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA