Em 2021, Colômbia supera novas rotas internacionais de 2019

|

Divulgação
Aeroporto de Bogotá
Aeroporto de Bogotá
Hoje, a Colômbia está mais conectada ao mundo, segundo a ProColombia. Neste ano, 12 companhias aéreas anunciaram a entrada em operação de 31 novas rotas internacionais, das quais 19 foram inauguradas até setembro, número que supera o registrado em 2019, antes da pandemia, quando 17 novas conexões aéreas entraram em operação, o que significa um aumento de 82,3%.

O país inaugurou neste ano ligações com as cidades de Punta Cana (República Dominicana); Nova York, Orlando e Newark (Estados Unidos); Cancún e Cidade do México (México); Lima (Peru); e, ainda, com Montreal (Canadá) e Santiago (Chile), embora este último esteja suspenso e pendente de reativação antes do final do ano. Por outro lado, para os próximos meses espera-se iniciar mais conexões com a Cidade do México, Santiago, Miami, Cancún, Nova York, Cidade do Panamá e Toronto.

“Cada vez mais companhias aéreas apostam no mercado colombiano. Ainda em 2021, duas companhias mexicanas chegaram pela primeira vez na América do Sul, e pelo menos mais uma dúzia estão aumentando sua capacidade em número de frequências e rotas. Já temos 22 companhias aéreas operando no país, que conectam oito cidades colombianas com 24 países, ou seja, já recuperamos 88% dos mercados aos quais o país estava conectado em 2019”, afirmou a ministra do Comércio, Indústria e Turismo, María Ximena Lombana.

Com a abertura dessas novas rotas, mais destinos colombianos estão entrando na lista de cidades com conexões internacionais. Barranquilla, Pereira, Bucaramanga e Armênia despertaram o interesse de mais companhias aéreas e agregaram novas conexões, e San Andrés e Cúcuta têm pela primeira vez novas rotas internacionais que chegarão em dezembro deste ano com Miami e Cidade do Panamá, respectivamente, graças aos voos da American Airlines e Copa Airlines.

Flavia Santoro, presidente da ProColombia, disse que ter conseguido captar 31 novas rotas até 2021 se deve a um trabalho articulado com aeroportos, entidades promotoras de destinos e Aerocivil. “Unimos esforços para recuperar rapidamente a conectividade internacional, eixo fundamental que permite a reativação segura do Turismo em nosso país”, afirmou.

Hoje, são mais de 680 frequências aéreas internacionais semanais com uma disponibilidade de cerca de 116 mil lugares. Os 10 principais mercados que concentram mais de 90% das frequências para a Colômbia são os Estados Unidos, Panamá, México, Espanha, Peru, Equador, República Dominicana, Chile, Brasil e Turquia.

Por outro lado, cada vez mais companhias aéreas apostam no mercado colombiano. Em 2021, chegam a Viva Aerobus e a Volaris, ambas mexicanas que pousam pela primeira vez na América do Sul. Outros que estão aumentando sua capacidade entre o número de frequências e novas rotas são Air Canada, American Airlines, Viva, JetSmart, Spirit e Copa Airlines.

A estes soma-se Iberia, que anunciou que aumentará as suas operações de sete para dez frequências semanais entre Madrid e Bogotá, recuperando 100% da sua capacidade pré-pandémica, e que retomará a rota Madrid-Cali para a temporada de dezembro de 2021 a fevereiro de 2022.

Outras que retomaram as conexões aéreas entre a Colômbia e a Europa são Air Europa, Turkish Airlines, Lufthansa, Avianca, Air France e KLM. Hoje, o país se conecta com mais de 40 frequências aéreas ao continente europeu com disponibilidade de mais de 12 mil lugares para Madri, Paris, Istambul, Frankfurt e Amsterdã. Considerando que antes havia o fornecimento de mais de 26,5 mil assentos, recuperou-se 45% da oferta nesta região do mundo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA