Tráfego aéreo doméstico cai 50% em 2020; Gol lidera em share

|


Divulgação/Anac
Apesar da óbvia queda esperada para 2020, o transporte aéreo brasileiro vem demonstrando sinais de recuperação gradual desde o segundo semestre do ano marcado pela pandemia de covid-19. A Anac acaba de divulgar os indicadores do setor no ano passado, que apontam 45,2 milhões de passageiros domésticos pagos, redução de 52,5% na comparação com o ano anterior.

No acumulado do ano, a demanda e a oferta apresentaram redução de 48,7% e 47%, respectivamente, o pior desempenho aferido nos indicadores em mais de uma década. Nos 12 meses do ano, a taxa foi de 80%, o que representa uma retração de 3,2% na comparação com igual período do ano anterior.

Divulgação
DEZEMBRO
Dezembro foi o melhor mês do mercado doméstico desde fevereiro, mês anterior ao decreto da pandemia. Ainda assim, a quantidade de passageiros pagos em voos domésticos no último mês de 2020 foi 5,6 milhões, número 36,4% inferior ao mesmo mês do ano anterior.

O percentual médio de ocupação de aeronaves no mercado doméstico em dezembro passado foi de 81,6%, redução de 2,5% ao apurado no mesmo mês de 2019.

MERCADO INTERNACIONAL
A demanda e a oferta no mercado internacional acumularam queda de 71% e 62,6%, respectivamente, de janeiro a dezembro do ano passado em comparação com igual período de 2019. No último mês de 2020, os indicadores também apresentaram variação negativa quando comparado com o mesmo mês do ano anterior, da ordem de 77,3%, no RPK, e 67,1%, no ASK.

Durante todo o ano de 2020, foram transportados 6,75 mi de passageiros pagos no mercado internacional. O número é 72% menor do que foi registrado no acumulado dos 12 meses do ano anterior. O total de passageiros pagos transportados em dezembro foi 408 mil, valor 80,3% inferior ao que foi apurado no mesmo período de 2019. O indicador apresentou retração nos últimos 17 meses consecutivos.

GOL, LATAM E AZUL
A Gol manteve a liderança na participação do mercado brasileiro, com 38,1% de share, seguida respectivamente por Latam Brasil (33,7%) e Azul (27,7%).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA