Preço médio da tarifa aérea no 3º trimestre foi de R$ 529,93

|

Unsplash/Kevin Woblick
Índice divulgado hoje (1) pela Anac mostra alta de 45% no preço médio
Índice divulgado hoje (1) pela Anac mostra alta de 45% no preço médio
A tarifa aérea média doméstica no terceiro trimestre de 2021 foi de R$ 529,93. De acordo com o Relatório de Tarifas Aéreas Domésticas do 3º Trimestre de 2021, divulgado hoje (1), pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), esse valor equivale a um aumento de 45,3% em relação ao mesmo período de 2020. Já o Yield (Tarifa Aérea Médio Doméstico Real) foi de R$ 0,3986, com aumento de 57,1% em relação ao 3º trimestre do ano anterior.

No período de janeiro a setembro de 2021, 5,1% das passagens foram comercializadas com tarifas aéreas abaixo de R$ 100 e 42% abaixo de R$ 300. As passagens acima de R$ 1,5 mil representaram 2,2% do total.

Entre as principais empresas brasileiras, que representaram 99,5% da demanda por transporte aéreo doméstico de passageiros, em comparação com o 3º trimestre de 2021 do mesmo período do ano anterior, as Tarifas Aéreas Médias Domésticas Reais da Azul, da Gol e da Latam subiram 37,2%, 54,2% e 44,1%, respectivamente. O comportamento do Yield Tarifa Aérea Médio Doméstico Real seguiu a mesma tendência para cada empresa, em que o índice da Azul, Gol e Latam aumentaram, respectivamente, 42,6%, 79,2% e 48,4%.

CONTEXTO DO TRANSPORTE AÉREO
Quanto aos indicadores relacionados aos custos mais significativos da indústria, o contexto do 3º trimestre de 2021, comparado ao mesmo período do ano anterior, continua marcado pela pandemia de covid-19.

Nesse cenário, houve aumento no preço do combustível de aviação correspondente a 56,6% em relação ao 3º trimestre de 2020; a taxa de câmbio foi 2,8% inferior a esse período; a inflação acumulada nos últimos 12 meses, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), correspondeu a 10,25%, superando a meta estipulada pelo Banco Central do Brasil, de 3,75% para o ano de 2021; o Produto Interno Bruto (PIB) subiu 4%; e as empresas aéreas mantiveram reduzida a oferta de voos para adequar a malha aérea à realidade de demanda. Em relação ao mesmo período de 2020, a oferta do 3º trimestre de 2021 aumentou 132%, mas ainda é 19,8% menor que a oferta do 3º trimestre de 2019.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA