IATA Travel Pass é apresentado a secretários de Turismo

|


Divulgação
Dany Oliveira, diretor Brasil da IATA, apresentando IATA Travel Pass em reunião do Fornatur
Dany Oliveira, diretor Brasil da IATA, apresentando IATA Travel Pass em reunião do Fornatur

A equipe da IATA no Brasil se reuniu hoje com os secretários estaduais de Turismo do País em reunião virtual do Fornatur. Destaque para a apresentação do IATA Travel Pass, aplicativo da entidade que certifica vacinação dos passageiros do mundo todo, funcionando como uma espécie de passaporte de imunidade. A ferramenta ainda está em teste.

O diretor Brasil da IATA, Dany Oliveira, apresentou o aplicativo aos representantes dos Estados, e falou ainda em sinais de recuperação, ainda que lenta, devido à morosidade da vacinação em países importantes. Oliveira ainda ressaltou a importância de se ter informações precisas sobre a saúde dos passageiros.


Na visão do diretor da IATA no Brasil, o turista precisa se sentir confortável para voltar a viajar e o setor tem a responsabilidade de implantar as melhores práticas mundiais. Informação sobre testes, vacinas e outras medidas exigidas para a viagem, detalhes sobre onde fazer exames que sejam aceitos, além de ter como comprovar a vacinação de forma verificável são, portanto, essenciais neste momento. e segura, protegendo a privacidade do viajante. "Essa é a chave que dará aos governos a confiança para abrir fronteiras", afirma.

É para preencher essas lacunas que é lançado o IATA Travel Pass. “É um aplicativo universal, de código aberto, que traz informação confiável para acelerar a retomada da aviação com segurança. Não é o futuro, é o que precisamos agora!”, ponderou Dany Oliveira.

SOBRE O IATA TRAVEL PASS

Divulgação

Em fase de teste, o aplicativo é gratuito e pode ser usado por viajantes, governos, laboratórios e companhias aéreas. Ele permite que o passageiro encontre dados sobre testes e vacinas para sua viagem, que os laboratórios possam emitir certificados reconhecidos pelos governos, que têm meios para verificar a autenticidade dos testes ou vacinações e que as companhias aéreas tenham capacidade de informar seus passageiros com precisão se eles atendem aos requisitos para a viagem.

Quando o turista recebe o “Ok to travel” no aplicativo, significa que seus dados foram checados e validados. Dany Oliveira ressalta que ainda não há um certificado internacional da vacina contra a covid-19, que a Anvisa não criou um documento interno e nem mesmo a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem padrão. Mas ele lembra que é importante considerar que 98% das exigências atuais da OMS são atendidas pelo ConectSUS, aplicativo nacional com dados que são a base para alimentação do IATA Travel Pass.

PRESIDENTE DO FORNATUR ELOGIA

PANROTAS / Filip Calixto
Bruno Wendling, secretário de Turismo do Mato Grosso do Sul e presidente do Fornatur
Bruno Wendling, secretário de Turismo do Mato Grosso do Sul e presidente do Fornatur
De acordo com o presidente do Fornatur, Bruno Wendling, o aplicativo da IATA é fundamental: “seria o ‘novo passaporte’ durante e pós-Covid, para que a gente tenha acesso a qualquer país do mundo com segurança, afinal de contas vão estar lá nossas informações básicas e as informações sobre a vacinação. Ele é muito útil para o Brasil, que vai ter que usar um sistema interligado ao IATA Travel Pass, para que a gente possa voltar no tempo certo, com a diminuição da pandemia, a receber os turistas internacionais. Esperamos, inclusive que Anvisa acelere a validação da certidão digital que o SUS tem, para que faça a integração com os apps internacionais, especialmente esse da IATA.”
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA