Reabertura de igrejas reaquece Turismo religioso no País

|

Após meses de restrições a atividades religiosas a fim de evitar aglomerações e prevenir o contágio da covid-19, turistas e devotos já podem voltar a frequentar locais de fé em diversos estados do País, como Bahia, Ceará, Minas Gerais e Espírito Santo. Nos últimos meses, importantes igrejas, santuários e basílicas voltaram a abrir as portas após a adoção de protocolos de segurança sanitária, como a redução da capacidade, a disponibilização de álcool em gel, a obrigatoriedade do uso de máscara e o distanciamento entre as pessoas.

Nesta semana, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Vila Velha (ES), retomou as visitações. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1950, a igreja é considerada uma das mais antigas do Brasil – construída em 1535 – e um marco da época colonial. As visitas acontecem de quarta a sexta, das 9h às 17h, e, a partir de outubro, serão ampliadas para o período de segunda a sexta, com missas aos domingos.

Wikicommons
Basílica de Nossa Senhora Aparecida, no Vale do Paraíba paulista
Basílica de Nossa Senhora Aparecida, no Vale do Paraíba paulista
Na semana passada, a cidade de Juazeiro do Norte (CE), importante polo do Turismo Religioso no Brasil, autorizou o funcionamento das igrejas, dentre elas, a Basílica de Nossa Senhora das Dores, que atrai milhares de fiéis para rezar pela alma do Padre Cícero. A Capela do Socorro, onde está o túmulo do sacerdote, e a estátua do santo popular, visitada por 2,5 milhões de pessoas anualmente, foram reabertas com capacidade reduzida.

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, William França, ressalta a importância do Turismo Religioso para a economia do Brasil e acredita que, a partir da reabertura, o setor vai ganhar força e ajudar o País a voltar a crescer.

Divulgação Viajanet
Estátua do Padre Cícero, em Juazeiro do Norte (CE)
Estátua do Padre Cícero, em Juazeiro do Norte (CE)
“O Turismo Religioso sempre foi um forte segmento no Brasil. Com igrejas e templos reabrindo, o setor do Turismo ganha mais força, assim como toda a cadeia produtiva envolvida. Mesmo com a capacidade de pessoas reduzida para a garantia da segurança dos turistas e fiéis, é um grande passo para voltar a movimentar a economia do País”, disse França.

Outro importante atrativo turístico, cultural e religioso voltou a abrir no início deste mês: a Basílica do Santuário de Nazaré, em Belém (PA), responsável pela tradicional celebração do Círio de Nazaré. Neste ano, em decorrência da pandemia, a 228ª edição do Círio não terá a tradicional procissão, mas os devotos poderão fazer suas promessas diante da corda oficial do evento, símbolo da celebração, que estará exposta no complexo turístico e cultural da capital paraense, Estação das Docas, entre os dias 23 e 30 de setembro.

Uma das mais visitadas igrejas do Brasil, o Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, já recebe o público desde julho, e dois dos principais atrativos turísticos do templo, os Bondinhos Aéreos e o Trem do Devoto, voltaram funcionar no início de setembro. Atualmente, o santuário pode receber até 6 mil pessoas simultaneamente, segundo decreto da administração municipal, o que corresponde a 40% da capacidade total.

IGREJINHA DA PAMPULHA
A Capela Curial São Francisco de Assis, mais conhecida como Igrejinha da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), está programada para reabrir no dia 4 de outubro, data consagrada ao padroeiro do templo e protetor da natureza e dos animais.

A construção, projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e restaurada em 2019 pelo Iphan, terá seu retorno às celebrações religiosas e ao turismo atendendo às medidas de proteção necessárias para a prevenção do novo coronavírus dentro dos protocolos sanitários e de segurança.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA