Luxo, esporte e eventos devem atrair 500 mil para Fortaleza no verão

|


PANROTAS / Marluce Balbino
O secretário de Turismo de Fortaleza, Alexandre Pereira
O secretário de Turismo de Fortaleza, Alexandre Pereira

O índice de 90% da população de Fortaleza vacinada levou à capital cearense a dinâmica do Turismo de volta, segundo o secretário de Turismo Alexandre Pereira. A capital já recebe eventos para até 2,5 mil pessoas, em locais fechados, e cinco mil participantes, em espaços ao ar livre. Além disso, os eventos corporativos também já voltam a ser realizados. “Recebemos um congresso médico, de otorrinolaringologia, que nos animou muito nesse caminho de recuperação”, disse o secretário, em participação na última edição do Fórum PANROTAS, em São Paulo.

Nesta temporada, até o final de janeiro, o secretário acredita que cerca de 500 mil turistas visitarão a capital do Ceará, deixando cerca de R$ 1,5 bilhão no comércio local. Segundo os dados do Observatório do Turismo de Fortaleza, os visitantes permanecem em média cinco dias e gastam R$ 3 mil em cada viagem. “Estamos trabalhando muito para atrair os turistas que viajam tradicionalmente para o Exterior. Acredito que este é o momento do Turismo doméstico e Fortaleza, como porta de entrada, e todo o Ceará podem se beneficiar disso.”

Entre os dados destacados por Alexandre Pereira está o aumento da busca por produtos e serviços de luxo, especialmente entre os meios de hospedagem. “Isso reforça nossa crença de que o turista que viajaria para o Exterior está buscando uma alternativa no Brasil”, diz. “Afinal, diante das notícias de novas variantes do vírus e do câmbio, quem viaja para fora precisa ser muito rico e corajoso”, brinca, falando sobre o risco de novos fechamentos de fronteiras no Exterior.

Depois de um período de muitos visitantes regionais, em viagens rodoviárias, Fortaleza voltou a receber os turistas da capital paulista e do interior de São Paulo, primeiro e segundo principais emissores para a cidade. Otimista, o secretário de Fortaleza acredita que 2022 pode ser o melhor ano, em termos econômicos, para o Turismo doméstico brasileiro. “Se tivéssemos algumas políticas de Estado, do Governo Federal, para incentivar esse movimento, que já é natural no cenário que temos, a demanda seria surpreendente”, completa.

KITE SURFE
O secretário de Turismo de Fortaleza destaca ainda o produto kite surfe, com demanda crescente no Estado. “Vejo o público que procura o kite muito parecido com o turista que viaja para esquiar”, compara. “São grupos grandes, de amigos ou famílias inteiras, que permanecem uma semana no destino e têm uma rotina bem regrada: acordar cedo para ir praticar kite, almoçar, voltar para a praia e terminar a noite em bons restaurantes”, analisa. “É um segmento que precisa ser explorado. Hoje já recebemos praticantes de todo o Brasil, pelas condições que as praias cearenses oferecem, e sabemos que o produto vai agradar em cheio aos turistas internacionais.”
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA