Disney adota novas abordagens em operações e inclusão

|

Disney
Josh D'Amaro, presidente da Disney Parks, Experiences and Products
Josh D'Amaro, presidente da Disney Parks, Experiences and Products
Da Disneyland em Anaheim, na Califórnia, Josh D'Amaro entregou uma mensagem de esperança e inspiração para a indústria de atrações globais na primeira sessão de apresentação da IAAPA Expo - Conferência Virtual de Educação. “Nossa indústria está sofrendo. Está doendo com a presença da covid-19 em nossas comunidades. Mas, ao contrário de alguns setores afetados pela pandemia, nosso setor veio para ficar e para crescer”, afirmou o presidente da Disney Parks, Experiences and Products.

Como a maioria da indústria do Turismo e de atrações, a Disney foi afetada pelo coronavírus, que a forçou a mudar normas operacionais, adiar projetos e implementar medidas de capacidade. No entanto, a empresa encontrou maneiras de se manter próxima dos clientes e da indústria, como por exemplo, com a campanha #DisneyMagicMoments, que permitiu experienciar os parques e atrações de casa.

Durante todo o processo, a empresa contou com sua conexão com a indústria. “Em nosso setor, é mais importante do que nunca buscar ajuda e apoio a outras pessoas no ramo de viagens e Turismo. Isso incluiu companhias aéreas, empresas hoteleiras e outras que têm sido nossos excelentes parceiros ao longo dos anos. Esses negócios estavam sofrendo tanto quanto nós e será necessário trabalho em equipe em todo o nosso setor para se recuperar. A boa notícia é que agora, mais do que nunca, as pessoas precisam de experiências compartilhadas. Eles precisam de aventura. Eles precisam viajar”, afirmou D'Amaro.

D'Amaro destacou o trabalho contínuo em projetos previamente anunciados em todas as locações da Disney, incluindo Avengers Campus no Disneyland Resort, Zootopia no Shanghai Disney Resort e Fantasy Springs no Tokyo DisneySea. Algumas das grandes mudanças também estão acontecendo internamente. Em setembro deste ano, a empresa anunciou que adicionaria uma quinta chave aos seus princípios orientadores das “Quatro Chaves”: inclusão.

“Os eventos nos EUA nos forçaram a olhar para todo o nosso negócio com lentes atualizadas e, francamente, temos algum trabalho a fazer tanto no palco quanto nos bastidores. E na Disney, uma empresa rica em tradições e herança, mudar nem sempre é fácil. Quando dizemos: "A todos os que vêm a este lugar feliz, sejam bem-vindos", isso significa a todos, tanto o elenco quanto os convidados. E essa é uma tradição que remonta ao próprio Walt Disney”, explicou D'Amaro.

A mudança cultural na empresa já começou. A empresa estará aprofundando seu relacionamento com faculdades e universidades historicamente negras para criar um canal mais sólido para carreiras em finanças, recursos humanos, jurídico, comunicações, produção e tecnologia. “Acreditamos que um ambiente verdadeiramente inclusivo é fundamental para fomentar ideias de todas as pessoas para nos ajudar a crescer, inovar e criar as melhores histórias possíveis”, disse o presidente da Disney Parks.

“No mundo em que nos encontramos hoje, otimismo, inovação e coragem, eles acabarão por vencer. Com o espírito encorajado que advém dos desafios da crise da covid, com a esperança e o otimismo que a nossa marca capta mesmo nos momentos mais difíceis, perguntamo-nos porque não levar os nossos convidados à lua ou levar a lua aos nossos convidados? Por que não sonhar o maior possível? E desafie o próprio significado da palavra impossível”, concluiu D'Amaro.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA