MERCADO

Para FBHA, reoneração da folha pode causar demissão em massa


Emerson Souza
Alexandre Sampaio, presidente da FBHA
Alexandre Sampaio, presidente da FBHA
A aprovação pelo Senado Federal na última terça (28) do PLC 52/2018, projeto de lei que suspende a desoneração da folha de pagamento de 28 setores da economia, não foi bem recebida pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA).

O texto sugere que esses segmentos da indústria serão impactados pela medida proposta pela Presidência da República como compensação à redução de R$ 0,46 no litro do diesel prometida aos caminhoneiros em greve. O projeto segue para sanção de Michel Temer.

Com a reoneração, o setor de hospedagem tem um aumento na alíquota de imposto sobre a folha salarial de 4,5% para 20%. O presidente da FBHA, Alexandre Sampaio, considera a decisão do Congresso Nacional equivocada e teme a demissão de 20 mil profissionais em um primeiro momento.

“Reonerar um setor em razão de problema enfrentado por outro setor é equivocado e pode acarretar diferente do que o governo pensa, inadimplência no recolhimento do tributo e informalidade na atividade”, argumentou Sampaio.

Segundo a associação, o pagamento da folha salarial corresponde entre 30% e 35% dos hotéis no Brasil. A hotelaria, de acordo com Sampaio, passa atualmente por uma situação difícil em decorrência da queda do poder aquisitivo, a diminuição da atividade econômica e a “concorrência predatória” com as plataformas digitais de hospedagem, como o Airbnb.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA