Iberostar: manutenção teve menor redução de gastos na pandemia

|


Divulgação
Ramón Girón, diretor de Operações Iberostar no Brasil
Ramón Girón, diretor de Operações Iberostar no Brasil

PRAIA DO FORTE – Os seis meses de fechamento do complexo Iberostar na Praia do Forte – onde estão os 632 apartamentos do Iberostar Bahia e os 536 do Iberostar Praia do Forte – funcionaram como um amplo período de manutenção. Com a política de fechar cada um dos hotéis uma vez ao ano, durante cerca de um mês, para colocar a manutenção do empreendimento em dia, o diretor de Operações da rede no Brasil, Ramón Girón, conta que a logística para fechar e reabrir já existia. A urgência que a pandemia de covid-19 causou, no entanto, foi a novidade.

Veja fotos no álbum no fim da notícia.

“Iríamos fechar o Iberostar Bahia em maio e o Praia do Forte, em junho, para a manutenção anual. Com a pandemia, fechamos em março, assim que conseguimos concluir os últimos check-outs”, diz o diretor. “Mas tínhamos eventos contratados e reservas que foram negociadas, ao mesmo tempo em que antecipávamos férias dos colaboradores e procurávamos apoio nas medidas que pudessem salvar empregos”, lembra. “Hoje, boa parte da equipe foi recontratada, encerramos apenas os contratos de experiência que tínhamos no ano passado.”

Divulgação
Piscina impecável para a reabertura do complexo Iberostar Praia do Forte
Piscina impecável para a reabertura do complexo Iberostar Praia do Forte
Apesar da autorização para reabertura já no final de julho, a rede espanhola preferiu aguardar até setembro para abrir o Iberostar Praia do Forte e, no mês seguinte, o Iberostar Bahia. “Queríamos entender o comportamento da demanda e também precisávamos implementar de modo consistente os novos protocolos, porque estamos falando de mais de 300 medidas implementadas para a reabertura”, diz. Global, a rede Iberostar criou o programa How We Care e um conselho médico para lidar com a pandemia, desenvolvendo os protocolos de segurança sanitária e suas implementações em cada destino.

Segundo o diretor de Operações, a área de manutenção foi a que teve a menor redução de gastos, diante da crise desencadeada pela pandemia. “Temos 40% de nossos hóspedes repetidores, então não podemos deixar de nos atualizar. Sabíamos que reabriríamos e que precisaríamos oferecer a mesma qualidade em atendimento e infraestrutura de antes da pandemia”, conta Girón. Entre as novidades do Iberostar Bahia estão o food truck Ô Xente, com snacks à beira da piscina principal, além da transformação do restaurante La Palma em hamburgueria artesanal no jantar e a construção da piscina exclusiva para a área Star Prestige, inaugurada no início de 2020.

Embora a rede não divulgue dados de ocupação neste momento, no fim de semana em que o Portal PANROTAS esteve no resort a ocupação era visivelmente alta – hoje, os empreendimentos de Mata de São João/Praia do Forte podem funcionar com 90% da capacidade. A expectativa é pela retomada dos eventos, que em 2019 representaram 20% do faturamento do complexo Iberostar na Bahia, segundo Girón. “Temos 3,5 mil metros quadrados de espaços para eventos. Já foi autorizada a realização de eventos para até 500 pessoas. Estamos aguardando as novas orientações governamentais e o resultado dos eventos-teste que estão ocorrendo”, diz.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA