África do Sul: aposta certeira em roadshows e câmbio a favor

|


Rodrigo Vieira
Rudzani Mudau, Cacilda Kawagoe e Shanaaz Ebrahim, do Consulado da África do Sul, Diogo Caldeira, da Sat, Rafaela Oliveira, da TGK Travel, e Fabio Marasca, da South African Airways
Rudzani Mudau, Cacilda Kawagoe e Shanaaz Ebrahim, do Consulado da África do Sul, Diogo Caldeira, da Sat, Rafaela Oliveira, da TGK Travel, e Fabio Marasca, da South African Airways
GRAMADO (RS) - Após um 2017 excepcional, em que cresceu 75% no número de brasileiros em relação a 2016, o Turismo da África do Sul acredita em um leve crescimento neste ano, de 68 mil para pouco mais de 70 mil visitantes daqui. Com um ano complicado em relação à economia e política do Brasil, a South African Tourism (Sat) continua apostando em seus roadshows em detrimento de feiras (a presença neste Festuris é um convite do Consulado do país).

Nessas capacitações, o câmbio favorável e as melhores tarifas aéreas, por conta da competição criada pela Latam com a SAA, são algumas das prioridades, além, é claro, dos destinos. "O brasileiro busca Cidade do Cabo e os safáris, principalmente Kruger, mas é interessante ver que nosso turista tem buscado a África do Sul como primeira opção no Exterior, em vez de Estados Unidos e Europa, por conta dessa média mais baixa no preço do aéreo", afirma o gerente de Relações com a Mídia da Sat no Brasil, Diogo Caldeira. "Além disso, temos muito repeaters, gente voltando duas, três vezes para a África do Sul, e aí sim encontrando alternativas para Cidade do Cabo e safáris."

Além do Brasil, os roadshows da África do Sul passaram por Chile e Argentina.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA