Brasil é único mercado internacional da Suíça que cresceu em 2022

|

PANROTAS / Emerson Souza
Fabien Clerc, diretor de Turismo da Suíça para o Brasil, durante o Switzerland Travel Experience 2022
Fabien Clerc, diretor de Turismo da Suíça para o Brasil, durante o Switzerland Travel Experience 2022
Um dos primeiros países a reabrir para visitantes brasileiros, em 26 de junho de 2021, a Suíça agora colhe os frutos de abrir suas portas e manter proximidade com o trade brasileiro. Em janeiro de 2022, o número de visitantes do Brasil no país europeu foi apenas 2% inferior ao mesmo mês de 2019, ano recorde de brasileiros na Suíça. Em fevereiro, o resultado foi ainda melhor. A Suíça registrou um aumento de 15% no número de brasileiros em comparação com fevereiro de 2019, sendo o único mercado internacional com crescimento no mês.

"Desde a reabertura da Suíça, no final de junho de 2021, fizemos bastante barulho no Brasil para compartilhar essa notícia com agentes de viagens e influenciadores, e isso teve um impacto muito forte. Vimos a retomada acontecendo a cada mês, com um crescimento de 10% mês a mês desde setembro, até chegarmos à paridade com 2019 no final do ano. Em dezembro, já alcançamos números de 2019. Se pegarmos o número de visitas em 2021 desde a reabertura e comparar com o mesmo período de 2019, tivemos uma queda de apenas 28,4% no número de pernoites. Isso mostra que o Brasil foi o país mais forte de todos nessa retomada da Suíça", afirmou o diretor de Turismo da Suíça para o Brasil, Fabien Clerc.

A intenção do escritório de Turismo da Suíça no Brasil é continuar nesse ritmo de crescimento investindo no contato direto com o trade em eventos próprios, como o Switzerland Travel Experience, que recebe nesta semana mais de 180 agentes no Palácio Tangará, em São Paulo; e também em feiras, como a ILTM Latin America, que será realizada na próxima semana. "Agências agradecem até hoje por reabrimos 'cedo' e oferecer a oportunidade de seus clientes visitarem a Suíça. Acredito que ficamos muito próximos dos agentes, nunca abandonamos eles, e mostramos que a Suíça estava bem solidária com eles. E isso teve um impacto muito forte", explicou Clerc.

Com número recorde de brasileiros em 2019, a Suíça espera já repetir este resultado positivo em 2022, mas Fabien Clerc é realista e ainda demonstra receio com o impacto da guerra entre Rússia e Ucrânia, assim como uma possível volta à ativa da covid-19 no inverno europeu. "Sempre queremos mais. Mas para ser realista, se chegarmos ao mesmo nível de 2019, eu ficarei feliz. Não sabemos o impacto da guerra, mas acredito que vai impactar um pouquinho. Com o frio na Europa, também há um receio de que o vírus fique ativo novamente. É difícil falar, mas se seguir como estamos agora, vejo 2022 trazendo um novo recorde de brasileiros na Suíça", explicou.

TRADE CORNER

Durante o Switzerland Travel Experience, o escritório de Turismo da Suíça está promovendo sua nova plataforma para agentes de viagens, com manuais de vendas, acesso às últimas informações, banco de imagens e toda informação necessária para que o agente possa vender o destino. Todo o conteúdo do evento que ocorre essa semana no Palácio Tangará, em São Paulo, também estará disponível. Acesse o site aqui.

ILTM LATIN AMERICA

A ILTM Latin America 2022, a ser realizada no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo, entre os dias 3 e 6 de maio, contará com uma "delegação muito forte" da Suíça. Na feira, o país contará com sete mesas e 12 parceiros apresentando seus diferenciais.

"Sempre tentamos nos posicionar como o maior destino internacional na ILTM. Tem Portugal também, que conta com bastante visibilidade e parceiros que vêm de lá, mas a Suíça é o segundo maior em números de parceiros/fornecedores que viajam da Suíça. Ainda mais esse ano, com a popularidade do país no mercado de luxo, acho que temos uma oportunidade muito boa de fazer ainda mais barulho", ressaltou Fabien Clerc.

A feira de Turismo de luxo também será uma boa ocasião para a Suíça apresentar suas novidades ao mercado brasileiro, frisando que o país não tem mais restrições para brasileiros, eliminando a necessidade de vacinação ou teste para entrar. "O timing é muito bom para nós para passar essa mensagem de segurança", explicou o diretor.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA