Emissão de vistos para os EUA por brasileiros sobe 65% em janeiro

|

Levantamento realizado pelo escritório de advocacia imigratória AG Immigration mostra que, em janeiro de 2022, foram emitidos mais de 51,9 mil vistos americanos para brasileiros. Destes, a quase totalidade (99%) são do tipo não-imigratório, ou seja, que não concede ao portador o direito de residir permanentemente nos Estados Unidos (ter o green card).

Os números da AG Immigration de certa maneira confirmam dados divulgados ontem (31) pela NTTO (National Travel and Tourism Office), que apontaram alta também nas visitas de brasileiros aos EUA. A chegada de brasileiros a destinos estadunidenses cresceu 1.112% em janeiro

Pixabay/Michael_Luenen
Alta na emissão de vistos foi apontada por dados da AG Immigration
Alta na emissão de vistos foi apontada por dados da AG Immigration
O visto mais expedido no período foi o B1/B2, que permite à pessoa entrar nos EUA por um período máximo de 180 dias para realizar Turismo ou negócios. Foram 46,9 mil emissões, o que já representa 65,4% do total de aprovações deste visto em todo o ano de 2021.

Desde a reabertura das atividades consulares, em 8 de novembro do ano passado, a concessão de vistos de Turismo – e vários outros – saltou de maneira significativa. Os consulados americanos no Brasil passaram meses fechados em razão da pandemia de covid-19.

Somando-se todos os vistos, janeiro teve 51,4 mil permissões de entrada dadas a brasileiros, um total 2,2% maior do que as 50,7 mil de dezembro.

FUGA DE TALENTOS
Entre os vistos não-imigratórios, também chama atenção a alta quantidade de emissões do visto L-1, destinado à transferência de executivos de empresas brasileiras para filiais nos EUA. Foram 704 aprovações em janeiro. O número é 30% inferior ao de dezembro, mas ainda suficiente para colocar o visto na quarta colocação entre os mais populares do mês.

“Além de muitas empresas estarem buscando o mercado americano, abrindo escritórios nos EUA, existe uma vontade crescente dos brasileiros, em especial os que têm muita qualificação acadêmica, de viver no país. Não é um comportamento recente, mas que se acentua em momentos de crise política e econômica e de eleições, como o atual”, analisa o CEO da AG Immigration, Rodrigo Costa.

Os vistos L-2, que são aqueles concedidos para cônjuges e filhos de titulares do L-1, também registraram alta, chegando a 963 autorizações. Já os vistos de estudante J-1 (729) e F-1 (424) completam a lista dos cinco mais disponibilizados em janeiro.

VISTOS IMIGRATÓRIOS
Na classificação dos Estados Unidos, vistos imigratórios são aqueles que, ao serem concedidos a um estrangeiro, automaticamente garantem a ele o status de residente permanente legal – também conhecido como green card. Na prática, é como se o imigrante tivesse os mesmos direitos de um cidadão americano, com algumas poucas restrições.

Entre os vistos imigratórios, os mais concedidos a brasileiros foram o E2 (159 emissões) e o E3 (57), dados respectivamente para cônjuges e filhos de certos funcionários e ex-funcionários dos Estados Unidos no exterior. Estes, por sua vez, recebem os vistos E1, que em janeiro somaram 44 emissões.

Completam a lista dos cinco vistos imigratórios mais populares em janeiro o IR-5 e o FX, usados por quem já mora nos Estados Unidos para levar parentes ao país, com o intuito de que eles também se tornem residentes permanentes.

O levantamento não contabiliza os vistos EBs, cujas aprovações são divulgadas à parte, no início de cada ano, pelo Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS, na sigla em inglês). No ano fiscal americano de 2021 – que vai de outubro de 2020 a setembro de 2021 –, houve crescimento de 18,1% na emissão destes vistos para brasileiros.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA