Movida

Victor Fernandes   |   08/09/2022 14:54   |   Atualizada em 08/09/2022 19:41

Turismo de SP investe R$ 18 milhões em Turismo náutico

Treze municípios paulistas vão ganhar estruturas como píers, decks e rampas de apoio

Divulgação
Treze municípios paulistas vão ganhar estruturas como píers, decks e rampas de apoio
Treze municípios paulistas vão ganhar estruturas como píers, decks e rampas de apoio
A Secretaria de Turismo e Viagens de São Paulo traçou um plano de desenvolvimento do Turismo náutico que vai impactar 13 municípios do interior do Estado, localizados à beira de rios, lagos e represas: Avaré, Fartura, Pederneiras, Piraju, Sales, Timburi, Araçatuba, Mira Estrela, Pereira Barreto, Presidente Epitácio, Rosana, Rubineia e Três Fronteiras.

Com investimentos de R$ 18 milhões do Turismo de SP, o número de turistas e excursionistas que atualmente não ultrapassa 1,7 milhão por ano nas 13 cidades chegará a quase seis milhões em dez anos, de acordo com estudo do Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET), ligado à Secretaria de Turismo e Viagens. A movimentação financeira direta e indireta nestes municípios deve passar de 2,5 bilhões para 8 bilhões por ano no mesmo período.

A implantação de estruturas começa no dia cinco de setembro e inclui passarelas, píeres flutuantes e sistemas de ancoragem, todos em peças pré-montadas. Em terra, caminho e passeio, deck de madeira, pergolado, mirante, paisagismo e mobiliário urbano. As maiores estruturas serão implantadas nos municípios de Mira Estrela e Pederneiras. As obras terminam em dezembro.

São Paulo tem 120 municípios mapeados com vocação para o setor. São 630 quilômetros de costa marítima, cerca de 4.200 quilômetros de rios navegáveis e mais de 50 reservatórios (lagos e represas) e poucos atrativos turísticos para atender a esta vocação. “A ideia é revelar o potencial de um setor que pode gerar muitos empregos e movimentar a economia”, disse o secretário de Turismo e Viagens, Vinicius Lummertz.

O Turismo náutico cresceu no Brasil e no mundo nos últimos anos, especialmente durante a pandemia. A procura por ambientes abertos e pelo contato com a natureza levaram os turistas a fazerem a locação de barcos, lanchas e motos aquáticas, de acordo com dados da Associação Brasileira de Construtores de Barcos e Implementos (Acobar), com crescimento de 10% ao ano entre 2021 e 2022.

Estima-se que uma instalação de apoio náutico para 300 embarcações tenha impacto direto, indireto e induzido de R$ 141 milhões por ano na economia local e garanta 780 postos de trabalho, de acordo com a Acobar/Lidera Consultoria. Os empregos são gerados de forma direta e indireta em instalações como marinas, estaleiros, fabricantes e fornecedores de embarcações, além de hotéis, restaurantes e comércio local.

Tópicos relacionados

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

Mais notícias