ECONOMIA E POLÍTICA

O que pensam os Poderosos do Turismo em relação às eleições?

Estamos a dois dias de uma das eleições mais conturbadas da história da democracia do Brasil. Com a enxurrada de informação vinda de todos os lados e a desconfiança do eleitor em meio a tanta fake news e fontes parciais, fica difícil de saber em quem acreditar.

O Portal PANROTAS pediu aos #PANROTAS100, que configuram a lista dos 100 Mais Poderosos do Turismo de 2018, divulgada na 46ª Abav Expo e 50º Encontro Comercial Braztoa, que antecedessem o que imaginavam para esse domingo. A intenção não é saber em quem os principais tomadores de decisão do Turismo votariam, mas ao menos ter uma perspectiva, uma pista dos rumos que o País pode tomar com o cenário eleitoral que se desenha. E que os candidatos saibam de viva voz o que querem as lideranças do Turismo (com nome e sobrenome).

É importante esclarecer que a maioria respondeu às perguntas há mais de um mês, e muita coisa mudou de lá para cá.

Confira algumas das respostas:

GUILHERME PAULUS - GJP HOTELS
Emerson Souza
Para o presidente da GJP Hotels e fundador da CVC, Guilherme Paulus, é preciso mudar a cultura política do toma lá, dá cá. Para ele, há poucos políticos com a mentalidade de geração de empregos. “Esperamos mudanças nesse sentido”, disse. Paulus defende a manutenção do Ministério do Turismo e alguém técnico na pasta, com a Embratur deixando e estimulando os players do receptivo a divulgar o Brasil no Exterior.

LUIZ FOGAÇA - CVC CORP
Emerson Souza
O futuro CEO da CVC Corp, Luiz Fernando Fogaça, acredita que há muitas oportunidades de expansão do Turismo no Brasil e o governo precisa investir em segurança, infraestrutura, campanhas positivas no Exterior e combate à corrupção.

ALEXANDRE SAMPAIO - CNC/FBHA
Marluce Balbino
“Espero que os futuros dirigentes da nação e dos Estados, além da classe política, que vai ascender às casas legislativas, percebam que estamos em outro milênio e as expectativas precisam ser correspondidas e que o turismo seja líder neste novo momento que a sociedade exige.

Espero a manutenção do Ministério do Turismo ou, no mínimo, de sua liderança em uma pasta que envolvesse esportes e cultura. Outra alternativa seria a criação de uma secretaria ligada diretamente ao presidente da República, com orçamento substancial, além, é claro, da transformação da Embratur em uma agência de atuação estilo Apex.
E que pudéssemos eleger empresários parlamentares por todo o País. Fica uma convocação para que o Turismo comece a se preparar para ocupar espaço nas eleições de 2020."

MAGDA NASSAR - BRAZTOA E TRADE TOURS
Emerson Souza
"Existe um movimento do Turismo de todas as associações para que todos os candidatos saibam o que é o Turismo,o viés que trabalhamos e sua importância. Acho que as propostas do Turismo, que entregamos aos presidenciáveis, é o verdadeiro ‘pulo do gato’: escancaramos o potencial econômico do nosso segmento.

Acrescento a isso a nova Lei Geral do Turismo, que deve ser votada no Congresso, mas segue sendo adiado. Espero assim que o próximo presidente entre já com uma visão melhor e mais clara do que nós somos e do que podemos gerar de renda, e que o congresso finalmente aprove as medidas necessárias ao segmento.

Espero estabilidade. Estamos num caos profundo desde 2015, que atingiu todas as classes sociais, em todos os aspectos: político, social, ambiental, econômico... É uma instabilidade que por mais que a gente esteja acostumado no Brasil, foi muito forte nestes anos, e precisa acabar.

Estamos numa corrupção tão profunda que precisaríamos começar do zero, o que é impossível. Temos candidatos com o mesmo discurso de sempre, propostas vazias, rasas, que não são reais... Então peço que o presidente, no meio desse turbilhão, consiga colocar a casa em ordem, e acabar com a corrupção que assola o País."

LUIS PAULO LUPPA - TREND
Emerson Souza
"Uma boa escolha será de vital importância para o País e consequentemente para o Turismo. Para evitar definitivamente a esquerda, a única opção é o (Jair) Bolsonaro. Para manter as coisas como estão a opção é o Geraldo (Alckmin), ou seja, tudo muito indefinido. E, exatamente essa indefinição que causa paralisia nos negócios."

ANA MARIA BERTO - ORINTER TOUR & TRAVEL
Emerson Souza
"Como brasileira, fico muito triste em ter que votar pelo menos pior. Gostaria de viver em um país em que pudéssemos viver a melhor opção. Hoje escolhemos o menos ruim. Todos com muito defeitos e poucas qualidades. Todos muito comprometidos com a política, com esse troca-troca vergonhoso, o que impede que as coisas aconteçam no ritmo e no tempo em que esperamos. Mas somos brasileiros, trabalhadores e otimistas e estamos aqui para trabalhar com todo foco."

IGOR MIRANDA - LATAM AIRLINES
Emerson Souza
“Esperamos uma agenda efetiva do próximo governo que promova iniciativas concretas para a criação de reais oportunidades de geração de empregos e riqueza, em prol do aprimoramento da competitividade da aviação nacional. Para isso, é vital a consolidação de um ambiente de segurança e estabilidade jurídica, regulatória e econômica”, complementou.

EDMAR BULL - COPASTUR
Emerson Souza
"Temos um cenário muito polarizado nas eleições deste ano, o que, em geral, leva a disputa para um segundo turno. Como empresário do setor, é claro que nossa expectativa é para que o presidente eleito tenha um olhar mais atento ao nosso Turismo. Precisamos avançar com os pleitos que levamos ao governo nos últimos anos e, principalmente, não retroceder nos poucos avanços que obtivemos.

Espero, antes de tudo, que haja muita consciência no momento do voto, porque somos responsáveis pelos resultados. E que os eleitos, nas diferentes esferas do governo, façam jus à confiança depositada pelos seus eleitores."

EDUARDO KINA - ALATUR JTB
Emerson Souza
"Qualquer candidato que venha a ser eleito terá que priorizar a recuperação econômica e acredito que 2019 será um ano melhor do que foram 2017 e 2018. Mas o que me preocupa é o longo prazo, pois somente teremos um crescimento sustentável no front econômico e uma estabilidade no front político com investimentos em educação. Sem essa base, não há país que consiga ser sustentável."

EDUARDO VASCONCELLOS - KONTIK
Emerson Souza
"Sinceramente, com essa polarização política que está acontecendo, ainda acho um mistério o que acontecerá no próximo dia 7. O que eu gostaria era que o Congresso fosse ocupado por novos deputados e senadores e que o próximo presidente tivesse equilíbrio e força para fazer as reformas de que o País tanto precisa.

Especificamente falando do Turismo, acho que pela relevância da nossa indústria, temos pouquíssima voz no Congresso e nas assembleias do nosso país e dos nossos Estados. O dólar é outro grande ponto de atenção, pois a cada pesquisa divulgada ele oscila e gera um forte impacto no nosso setor.

Espero que o povo brasileiro possa ter sabedoria para escolher alguém que ajude a colocar o Brasil no trilho do crescimento. Só assim poderemos gerar mais emprego, ter mais segurança, educação e saúde. O voto é a nossa arma para fazer isso acontecer."

ADRIAN URSILLI - MSC
Emerson Souza
"Independentemente do resultado das eleições, esperamos que o Turismo esteja entre as prioridades do novo governo, já que o setor tem um potencial gigantesco no País, fomenta fortemente a economia e gera empregos diretos e indiretos. No caso da indústria de cruzeiros, por exemplo, ainda temos um grande desafio relacionado à questão de infraestrutura portuária. O País tem um litoral de aproximadamente 7,3 mil quilômetros e muitos destinos fascinantes.

No entanto, só temos hoje 14 portos de embarque e desembarque, ou seja, ainda há muito a ser feito. Há também desafios relacionados a questões de segurança, informação turística, entre outros."

ALEXANDRE ARRUDA - ARGO SOLUTIONS


Jhonatan Soares
“Estamos de fato olhando com muita atenção para o que vai acontecer, porque vai impactar na nossa empresa. Na política, nada pode piorar, só há o que melhorar. Independentemente de quem seja o presidente, precisamos trabalhar de qualquer forma.

O Brasil tem muita oportunidade e o ambiente de viagens corporativas está em crescimento. Com a economia menos aquecida, deslocamentos a negócios diminuem, mas, por outro lado, em crise viaja-se mais. Olhamos com cautela, projetamos alguns cenários de acordo com o futuro político, mas nosso dever é trabalhar.

Em termos gerais, seja o que for, que os novos políticos nos deixem trabalhar e que o novo cenário impacte pouco no nosso dia a dia. Para nós, empreendedores e executivos, se isso for possível, crescemos muito mais.”

FREDERICO PEDREIRA - AVIANCA BRASIL
Emerson Souza
Para ele, mais importante do que o resultado das urnas, é a estabilidade que uma definição de projeto de governo dará a economia. “Independentemente do candidato que vença, acredito que ter uma definição de cenário fará com que o mercado se acalme, as coisas fluam mais facilmente e o dólar, que tanto impacta as nossas operações, se estabilize. O que precisamos é de uma definição do cenário atual”, afirma o presidente da Avianca Brasil.

ROBERTO BERTINO - NOBILE HOTÉIS
Emerson Souza
"Precisamos cumprir com o nosso papel de votar em candidatos que apresentem propostas realistas e que estejam comprometidos com a democracia e o senso comum, além de ideologias políticas. Depois do que vimos, precisamos de líderes que enfrentem os problemas atuais com sabedoria e lisura, fazendo jus aos votos que receberam. Precisamos de um governo forte, estável e amplo, comprometido com o Estado liberal, com a economia social de mercado e para realizar e consolidar as reformas necessárias.

O Brasil tem que interromper esse círculo vicioso que gerou o caos econômico, precisa criar e reforçar o ciclo virtuoso do investimento e a criação de emprego. O importante é conseguir estabilidade duradoura e, acima de tudo, tornar forte o modelo econômico do Brasil. Sou otimista, por isso sou empresário. O Brasil tem tudo para ser uma referência no Turismo. Estou torcendo e trabalhando para que consiga sê-lo."

CARLOS PRADO - ABRACORP E TOUR HOUSE
Emerson Souza
“O governo deve ter um plano que estimule os brasileiros a viajarem mais dentro do próprio País e os estrangeiros a visitarem o Brasil. É preciso avançar na questão dos vistos e também focar na segurança, que inibe a visitação de estrangeiros no Brasil.”

BOB ROSSATO - VIAJANET
Emerson Souza
"Precisamos de alguém com planejamento econômico de longo prazo, capaz de negociar com Congresso e ampla sociedade e trazendo a previsibilidade que o mercado necessita para atrair grandes investimentos. Neste cenário, o Turismo é um grande propulsor de geração de empregos. Rever politicas para facilitar novos investimentos e vinda de novos entrantes, como novas aéreas e redes hoteleiras, explorando aeroportos secundários e regiões sub-exploradas. Também voltar a explorar sobre o tema de abertura de cassinos em regiões pouco exploradas, com uma legislação dedicada em torno desta tema."

PETER WEBER - SKYTEAM
Emerson Souza
"A indústria do Turismo espera que os vencedores das próximas eleições assumam uma política clara e focada nas reformas que o País necessita e a partir destas gerar um ambiente fértil para investimentos e geração de empregos na nossa área. O cenário da corrida eleitoral, de duração muito curta dada a importância do pleito, segue com promessas vagas e pontuais sobre temas do dia a dia, deixando de lado a discussão sobre as grandes reformas que o País necessita."

FLAVIA PIROLA - TYLLER
Emerson Souza
“Acho que por enquanto teremos uma incerteza em relação ao ‘novo’. Porém o esperado é que o próximo congresso tenha mais consciência e aprove mudanças favoráveis a economia do País, melhorando assim o desempenho Turismo como um todo.” Para além de empresária do mercado turístico, Flavia ainda destaca a esperança do próximo governante nacional, ainda que nomes ainda sejam incertos. “Espero honestamente que o candidato que ganhar consiga exercer um mandato com pensamento no bem comum, sem privilégios de minoria, e que tenha uma visão geral do País. Obviamente sem corrupção”, finaliza.

RICARDO AMARAL - R11 TRAVEL
Emerson Souza
"Sou um grande otimista com o Brasil e os brasileiros, mas vejo um cenário fragmentado, pouco claro e nada alentador em termos de lideranças que possam estimular os ajustes necessários. Mas estou otimista com o potencial do nosso País e do povo hospitaleiro, que precisa votar de forma consciente."

CHRISTIANO OLIVEIRA - GRUPO FLYTOUR
Emerson Souza
"Espero que independentemente de quem seja nosso presidente, que ele tenha equilíbrio em seus atos, nosso País está doente e quando uma pessoa que amamos está doente, nós não desistimos, lutamos e acreditamos que vamos vencer essa luta. Como brasileiro, e filho de um pai [Elói Oliveira] que saiu das ruas e construiu a sua história com muita dignidade e respeito, ele me ensinou que vale apena lutar pelo que acreditamos, espero que nós brasileiros nunca deixemos de acreditar em nosso País."

RUI ALVES - GRUPO FLYTOUR
Emerson Souza
"O novo Congresso será na minha visão algo ‘velho’ infelizmente, não teremos grande renovação e, portanto, o Turismo continuará sendo tratado de forma secundária como atividade econômica. Porém, dependendo do candidato que seja eleito presidente da República, poderemos ter uma maior dedicação para que a atividade de Turismo seja estimulada não só como uma razão de Estado, mas como uma razão de viés estratégico geradora de resultados econômicos de longo prazo."

ORLANDO GIGLIO - IBEROSTAR
Marluce Balbino
“As eleições deste ano são aguardadas pelos brasileiros com muita expectativa, pois há um sentimento coletivo que espera mudança na gestão nacional. Quanto ao Turismo, minha expectativa é que o governo dobre o investimento no setor, dando estímulos para que os brasileiros viagem dentro do País, mas também para que os estrangeiros conheçam o Brasil. Possuímos uma variedade grande de opções de destinos e o setor precisa de estímulo para mostrar a capacidade que a nação tem nesta área.”.

MARTIN JENSEN - QUEENSBERRY
Emerson Souza
"Em primeiro lugar, espero um governo que saiba restabelecer o caminho de estabilidade econômica com crescimento sustentável – o que tivemos na época do governo FHC e Pedro Malan e que foi infelizmente perdido pouco a pouco a partir de 2006. Quanto ao Congresso, espero que todos os parlamentares eleitos tenham honestidade e coragem para tomar rapidamente as muitas decisões urgentes sobre as reformas absolutamente essenciais, especialmente a reforma previdenciária."

PATRICK MENDES - ACCOR HOTELS
Jhonatan Soares
"Assim como em outros setores da economia, o Brasil oferece um enorme potencial de crescimento seja em ampliar a quantidade de turistas estrangeiros que recebe, seja em fortalecer o fluxo de turistas dentro do seu próprio território ou mesmo o intercâmbio com seus vizinhos na América do Sul por meio de acordos e incentivos.

Em 2017, o Brasil recebeu 6,5 milhões de turistas estrangeiros, um número que pode crescer muito nos próximos anos com investimentos, oportunidades e projetos que coloquem o Turismo como um dos pilares da economia. Existe espaço para que o Turismo gere mais empregos, para que ele seja um indutor de capacitação profissional e para que explore todas as qualidades da cultura e do povo brasileiro.

O Turismo pode incentivar a culinária, as boas ideias na gestão de hotéis e empresas do setor, pode ser a principal fonte de renda de uma cidade. Para que isso ocorra, precisamos de um presidente e um Congresso que apoiem o Turismo de maneira geral."

LUIS CARLOS VARGAS - TRAVELPORT
Jhonatan Soares
"Como brasileiro e executivo de Turismo, os temas ligados à infraestrutura devem estar entre as prioridades das autoridades governamentais, e isso inclui a revisão e atenção permanente a questões como a implementação de políticas nacionais, estaduais e municipais de: acesso à educação, geração de empregos, saneamento básico, destinação de resíduos e preservação do patrimônio natural e cultural.

Apesar de ser fundamentalmente realizado pela iniciativa privada, o Turismo é uma indústria fortemente impactada pelas políticas públicas, uma vez que depende de infraestrutura, segurança, serviços de saúde e condições macro e microeconômicas favoráveis para o seu bom desempenho, como câmbio e tributação, por exemplo."

MARCELO BENTO - AZUL VIAGENS
Emerson Souza
"Todos sabemos que o resultado desta eleição ainda é muito incerto, e que mesmo os candidatos com maior preferência não têm programas de governo muito claros. Também no Congresso é impossível prever o grau de renovação que teremos a partir de 2019. Por isso é difícil fazer qualquer prognóstico com relação ao Turismo.

O que espero é que sendo o Turismo uma atividade produtiva de resposta bastante rápida a estímulos, com ciclos mais curtos de maturação de investimentos – e diante de um quadro econômico desafiador –, que seja quem forem o presidente e seus ministros, terão que forçosamente desenvolver um plano de incentivo para o Turismo interno e para a atração de estrangeiros."

ELISA CARNEIRO - SABRE
Emerson Souza
"Diante do acontecimentos nos últimos anos, nunca houve tanto desejo por mudança, novas caras na política e renovação. O brasileiro traz na memória uma coleção de experiências negativas com a política. A pauta de Turismo é inexistente ou muito vaga no programa dos candidatos à presidência, o que nos faz esperar mais um mandato onde nosso setor não será reconhecido como uma força impulsionadora na economia.

Apesar da incerteza de como um segundo turno possa se desenhar, espero que o presidente eleito e o congresso caminhem para um cenário de mudanças profundas e necessárias, como a reforma fiscal e da previdência."

ALEX CALÁBRIA - COSTA CRUZEIROS
Emerson Souza
Em relação ao cenário político brasileiro e as eleições que se aproximam, o gerente da Costa Cruzeiros não sabe quem sairá vitorioso, mas tem certeza que é preciso união para que o Turismo vença no Brasil. “Qualquer que seja o resultado da eleição, acreditamos ser o momento de o Turismo ser valorizado como deve. O setor amplia a capacidade do nosso País em gerar mais empregos e movimentar as economias locais. Isso significa, principalmente, posicionar os custos operacionais dos portos em um nível mais competitivo, desenvolver novos destinos e modernizar os terminais de cruzeiros já existentes”, finalizou Alex Calabria.

ERALDO PALMERINI - GRUPO BRT
Emerson Souza
“Estivemos no último ano imersos em uma instabilidade política e econômica. Embora desde o ano passado o cenário se mostrasse mais estável, com a aproximação das eleições, novamente nos encontramos incertos”, pondera o empresário do Paraná. Segundo ele, na história do Brasil, poucos políticos realmente se mostraram engajados quando o assunto era o Turismo. E, mesmo nestas eleições, ele pouco vê propostas que realmente condizem com as necessidades do setor. “Somos um País muito extenso, com necessidade muito plurais. Sejam quais forem os eleitos, primeiramente precisarão botar ordem na casa.”

BRUNO HELENO - HOTÉIS OTHON
Marluce Balbino
“Considero este momento político um momento de oportunidade. Oportunidade de realmente iniciarem as tão necessárias mudanças que nosso País precisa. Certamente esta eleição é a mais decisiva em relação ao futuro, pois quem estiver empossado terá como desafio a retomada da nossa economia que vem a passos lentos, após a maior crise por nós já vivida.

O Turismo necessita receber a atenção necessária, podendo contribuir muito para este crescimento do PIB. Já somos a 11ª economia do segmento no mundo e temos um imenso potencial inexplorado. Com os eventos que o Brasil recebeu nos últimos anos, em especial Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, mesmo que aquém da expectativa, foram realizados investimentos nas principais capitais, obras em aeroportos e hotelaria foram algumas delas.

O Brasil tem hoje um parque hoteleiro renovado, com valores extremamente competitivos, ainda muito mais atraente quando consideramos a alta do dólar, que torna as viagens para cá mais atraentes para estrangeiros. Temos de estar otimistas e exigir que este novo governo conceda a devida atenção à pasta Turismo, começando por um orçamento proporcional ao potencial do setor.”

GERALDO ROCHA - ABAV NACIONAL
Emerson Souza
"Qualquer que seja o presidente eleito, a expectativa é para que o Turismo encontre interlocutores que nos permitam avançar com os pleitos que ficaram pendentes no governo atual”, afirmou o dirigente, destacando os impasses em relação às mudanças “necessárias e urgentes” na Lei Geral do Turismo. Apesar de pontuar que “ainda não é possível fazer uma leitura muito clara” sobre o desenrolar das próximas eleições, Rocha espera que, pelo menos, “todo o processo eleitoral decorra com lisura e transparência, essências para legitimar uma democracia”.




 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA