São Paulo poderá abrir espaços culturais na fase laranja

|


Divulgação
Com a reclassificação, os espaços poderão funcionar com capacidade limitada a 40%
Com a reclassificação, os espaços poderão funcionar com capacidade limitada a 40%
Nesta sexta-feira (8), o Governo do Estado de São Paulo decidiu autorizar o funcionamento de espaços e atividades culturais, como museus, bibliotecas, centros culturais, cinemas e teatros, durante a fase laranja do Plano São Paulo com os protocolos e as restrições de ocupação. A avaliação é que são atividades e espaços de baixo risco quando há a aplicação rigorosa dos protocolos e controle de acesso e fluxo. As regiões atualmente classificadas na Fase Laranja são as de Registro, Sorocaba, Presidente Prudente e Marília. As demais regiões permanecem na fase amarela, inclusive a capital paulista.

"As instituições culturais do Governo do Estado de São Paulo seguem expressamente todos os protocolos exigidos pelas instituições competentes para, assim, continuar oferecendo suas atrações presenciais ao público com total segurança, bem como estimular a dimensão econômica da cultura", disse o secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão.

PROTOCOLOS DE SAÚDE E SEGURANÇA

Os espaços culturais continuarão seguindo rígidos os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e Centro de Contingência, como distanciamento social, proibição de atividades com público em pé, higienização do ambiente e adoção dos protocolos específicos para cada área cultural.

Com a reclassificação nas fases amarela e laranja, a capacidade máxima permitida de ocupação nos espaços culturais fica limitada a 40%. Em relação ao horário de funcionamento, na fase amarela o limite é de dez horas diárias, enquanto na laranja é de oito horas por dia. Além disso, há obrigação de controle de acesso, hora marcada e marcação de assentos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA