IRRF: redução é esperada para 1º de janeiro de 2022

|


Divulgação
Roberto Nedelciu, presidente da Braztoa
Roberto Nedelciu, presidente da Braztoa

Agora vai? A Braztoa trabalha com a data de 1º de janeiro de 2022 para o Imposto de Renda sobre Remessas ao Exterior ser reduzido à mesma taxa do IOF, 6,38%, e assim as operadoras e agências de viagens brasileiras conseguirem concorrer justamente contra a venda direta internacional. O presidente da entidade, Roberto Nedelciu, diz que ontem (17/11) foi encontrado um ponto salutar entre o governo e as associações que lutam pela causa.

"Dependíamos do julgamento do Tribunal de Contas da União de como seria feita a redução do IRRF. Foi uma consulta feita pelo Senado que o TCU levou um bom tempo para responder, algo que foi colocado e tirado de pauta quatro vezes, devido aos feriados", justifica Nedelciu, que costuma dizer: "infelizmente, o tempo do poder público não é o mesmo do que o nosso".

"Ontem foi aprovado como essa despesa será equilibrada. O Ministério do Turismo está com a Medida Provisória pronta para ser assinada pelo Ministério da Economia. Agora nossa única pendência é acertar os detalhes com a pasta. Esperamos que a partir de 1º de janeiro o IRRF sobre remessas ao Exterior seja reduzido."

ATUALIZADA ÀS 12H05
Inicialmente, colocamos nesta nota que a consulta havia sido feita pelo TCU, mas o Senado levou tempo para responder. Na verdade, foi o contrário: a consulta foi feita pelo Senado e o TCU levou tempo para responder. O conteúdo foi corrigido.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA