São Paulo puxa retomada do aluguel de carros em 2022, afirma Abla

|


Freepik
Para o diretor da entidade, o setor encerrará este ano com faturamento e frota próximos ao pré-pandemia
Para o diretor da entidade, o setor encerrará este ano com faturamento e frota próximos ao pré-pandemia
De acordo com a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), 2022 será um ano positivo para alugar carros em São Paulo. Segundo o diretor da entidade no Estado, Daniel Huss, além da demanda que já está em alta, também fará diferença a recente redução de 4% para 1% na alíquota do IPVA, cobrado sobre os veículos licenciados por locadoras.

Daniel Huss aponta que “se trata de uma vitória”, mas ressalta que o benefício da alíquota na nova Lei 17.473/2021 foi aprovado inicialmente para os anos 2022, 2023 e 2024. “Pode ser revogado a cada exercício, dependendo da responsabilidade da Lei Orçamentária do Estado, e, por isso, é importante dar atenção constante à manutenção do IPVA em 1% em São Paulo. Trata-se de um direito das locadoras, na medida em que isso nos equipara aos demais Estados, trazendo avanços na competitividade”, diz.

O diretor da associação lembra, ainda, que 2022 é um ano eleitoral, e que “uma troca no comando no Palácio dos Bandeirantes pode significar novas interpretações sobre a condução de políticas públicas para IPVA, ICMS e outros impostos. Trata-se de uma possibilidade que não pode ser descartada, tanto pela nossa associação quanto pelo Sindicato patronal das Locadoras”. Conforme estudos apresentados pela entidade, o IPVA de 1% vai estimular que mais carros sejam faturados, licenciados, locados e vendidos, trazendo incremento à arrecadação do ICMS no Estado de SP.

Atualmente, apesar da escassez de veículos novos no mercado paulista e do aumento dos preços dos modelos zero km, Huss projeta que o setor encerrará este ano com faturamento e frota total de veículos próximos aos verificados antes da pandemia. “Deixaremos para trás a fase de retração, sendo que o ano de 2021 já foi melhor que 2020”, afirma o diretor da Abla.

De acordo com Huss, “paulistas, paulistanos e turistas que visitam o Estado voltaram a usar mais o transporte individual, o que também já está estimulando, neste começo de ano, o aluguel de veículos”, completa ele. “E o interesse em carros por assinatura, que é o aluguel por longos períodos, geralmente entre 12 a 48 meses para pessoas físicas, também cresceu, compensando, inclusive, o encolhimento da locação de carros para motoristas de aplicativos em São Paulo”.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA