Artigo aborda ações do SPCVB para a retomada de São Paulo

|


GoodFreePhotos
A campanha de marketing
A campanha de marketing "SP Pra Todos" foi lançada pelo governo do Estado em 2019
O jornalista e diretor da Agência Amigo, Luiz Henrique Arruda Miranda, escreveu um artigo explicando como o processo de retomada do Estado de São Paulo converge com as estratégias do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB). No texto, ele aborda também as ações da terceira fase da campanha "SP Pra Todos" e da Secretaria de Turismo do Estado para uma retomada segura e eficiente.

Confira o artigo completo:

SPCVB escreve mais um capítulo de sucesso

Luiz Henrique Arruda Miranda

Mais uma vez São Paulo Convention and Visitors Bureau protagoniza importante capítulo na história da cidade. A maior metrópole do país avança para uma nova fase da bem-sucedida campanha “SP Pra Todos”. Produz, compartilha, difunde e viraliza a produção de três vídeos estratégicos para a retomada segura de bares, restaurantes, meios de hospedagem e espaços de eventos. Dinâmicas, objetivas e didáticas, as três peças realizam o feito de alinhar a comunicação dos diversos atores que encarnam papéis decisivos para a economia da cidade.

Mais do que uniformizar procedimentos construídos a partir do engajamento do poder público, de associações, sindicatos, empresas e academia, a estratégia em curso “põe o trem nos trilhos”, sintetiza Toni Sando, presidente executivo do SPCVB.

No site www.visitsp.tur.br, o material produzido compõe conteúdo do Plano São Paulo; resgata outras peças veiculadas de novembro até o final do ano de 2019; organiza informações sobre roteiros para quem busca fugir do óbvio na cidade e vai além da capital. Descreve a gastronomia; opções de aventura e ecoturismo; cultura e história de todas as regiões turísticas paulistas.

A segmentação de atrativos turísticos naturais e culturais do Estado ganha, nas páginas digitais, filtros temáticos que revelam roteiro religioso e espiritual, grade de eventos, oportunidade de negócios, opções de entretenimento com crianças, Turismo de sol, praia e náutico, moda e compras, bem estar e saúde.

Sintonia fina que proporciona mais segurança para todos que visitam São Paulo, além dos protocolos de biossegurança. Neste cenário, o hub aéreo existente na capital favorece a união nacional de crescente número de Conventions Bureaux e entidades de destinos. Com dimensões continentais, o território brasileiro é grato à distribuição de mercadorias essenciais transportadas no porão de mais aeronaves, que a cada dia repõem a malha aérea composta por 2.700 voos/dia, pré-pandemia da covid-19.

“É possível que 65% a 70% da malha aérea retome as operações até o final do ano”, afirma Eduardo Sanovicz, presidente da Abear – Associação Brasileira das Empresa Aéreas. As primeiras rotas deverão ter até duas horas e meia de voo e isso para facilitar a vida dos passageiros que queiram retornar de um destino a propósito das idas e vindas impostas pelo novo coronavírus.

Ainda assim, deste limão se faz uma típica caipirinha, brasileiríssima. De acordo com Sanovicz, uma parcela da demanda acostumada a viajar nas férias de julho e no final de ano ao exterior, certamente, não ocupará a maior parte (cerca de 4/5) dos 14 milhões de assentos das aeronaves que o Brasil mantinha em conexão com o mundo.

“Com tíquete médio mais alto, aproximadamente 2,5 milhões desses passageiros agora compõem demanda para viagens domésticas e são público-alvo de ações de marketing para que viagem pelo Brasil, quando for seguro”, sinaliza Sanovicz, que já antecipa uma contribuição: “acredito na estratégia de construir a retomada pelo setor de eventos– que contemplem conteúdo relevante capaz de atrair e reunir a comunidade adequada”.

Por isso, também, o eixo do processo de retomada vai ao encontro das ações desenhadas com maestria pelo SPCVB. E o primeiro passo está dado pela disseminação de informações chave. Por exemplo: a excelência de qualidade do ar a bordo de um avião equipara-se à de um centro cirúrgico.

O alinhamento construído passo-a-passo pelo SPCVB fortalece também o papel do Conselho Estadual de Turismo e da imprensa. Valoriza cada etapa e as iniciativas distintas que complementam esforços coletivos em favor de um mesmo propósito. Ou seja, informar que o Turismo constitui fato econômico de extraordinária relevância socioambiental, especialmente para o Brasil

Alicerce teórico embasado em conhecimento profundo sobre o assunto, o ex-ministro e atual secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Vinicius Lummertz, enfatiza quão de fato importa o diálogo realizado pré-lançamento dos três vídeos; produzidos a partir da construção conjunta de todos os elos envolvidos. Ele agradece a participação, sem deixar de reconhecer méritos do Plano São Paulo, que desenha e monitora com critérios científicos o mapa regional elaborado e divulgado com transparência

A eficiência e eficácia da estratégia traçada pelo governo de São Paulo para retomar com segurança a economia do Estado durante a pandemia do novo coronavírus, entretanto, seria maximizada caso o Brasil pudesse contar com uma liderança altiva e serena, capaz de unir toda a sociedade em torno do propósito único de combater, com inteligência e coragem, o inimigo comum – a covid-19 e seus efeitos. “Precisávamos ter tido mais apoio em âmbito federal”, reconhece Lummertz. De acordo com o secretário, “além de criar e dar por conhecer todos os protocolos, é preciso motivação para utilizá-los”.

Neste sentido, Lummertz não deixa margem a dúvida: “o novo normal inclui ter a percepção de que não há volta ao passado”. Os riscos epidemiológicos tendem a ser recorrentes e talvez, por isso, “seja necessário criar uma Lei Rouanet para a Saúde”, propõe, considerando a necessidade de medidas preventivas, além das reativas decorrentes de cenários previsíveis. “Só ficar reclamando não ajuda a resolver. Não há volta. Vamos aproveitar e criar distritos seguros, rotas cênicas e obter respaldo parlamentar na Assembleia Legislativa para fomentar, por exemplo, a abertura à visitação de novos Parques Naturais”, sugere.

Ao lembrar medidas adotadas e bem-sucedidas no Estado de São Paulo, como a redução de impostos para as cias aéreas e a privatização de aeroportos, que superaram as metas de aumento no número de voos (de 490 para mais de 700) e geraram mais de 50 mil empregos, contribuindo com crescimento econômico de 5,3%, Lummertz defende ser fundamental desburocratizar processos e reduzir o prazo para, por exemplo, ser obtido licenciamento ambiental para fomento da atividade turística.

Toni Sando traz outras boas notícias no embalo da terceira fase da campanha “SP Pra Todos”, tais como a confirmação do SPCVB de que já existem eventos com datas definidas para serem realizados na cidade em 2021, 2022, 2023; que o site de referência setorial visitsp.tur.br reserva espaço para serem publicadas várias informações atualizadas sobre cada destino e região turística do Estado; e, ainda, com a serenidade e o bom-senso característicos de quem cumpre seu dever, afirma: “Tudo vai passar, não podemos nos antecipar”.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA