50% das reservas de viagens no Brasil já são feitas on-line, diz pesquisa

|

Pixabay
O brasileiro está mais familiarizado em comprar viagens on-line do que qualquer outro produto. A conclusão partiu de um estudo recém-lançado pela Phocuswright em parceria com o Google.

A pesquisa se debruçou nas três principais gerações de consumo: os millennials (18 a 34 anos), a geração X (35 a 54 anos) e os baby boomers (acima dos 55 anos). Um dado revela como esses públicos estão mais adaptados com a internet, com 67% relatando que considera fácil ou muito fácil adquirir uma viagem do que os demais bens.

Essa facilidade em sentar na frente de um computador ou usar o smartphone para fazer uma pesquisa inverteu a realidade de tempos atrás. A empresa de consultoria apresentou que hoje, no Brasil, 50% das reservas de viagens são feitas on-line, posicionando o País à frente de qualquer outra nação latino-americana. A estimativa era que esse número fosse alcançado apenas em 2020.

Entre essas distintas gerações, a mais destacável é a millennial. Para esses jovens, encontrar o preço (27%) é uma prioridade, enquanto a X e os boomers têm 19 e 11%, respectivamente.

Emerson Souza
Carolina Haro, da Mapie
Carolina Haro, da Mapie
“O desempenho para esses jovens ficou mais em evidência nesses últimos anos de crise. Já os baby boomers são consolidados financeiramente e têm renda disponível para viajar. Por isso, o preço é menos relevante”, repercutiu com a reportagem a sócia-diretora da Mapie, Carolina Haro, representante da Phocuswright no Brasil.

Embora o estudo não toque nesse ponto, os Estados Unidos e Portugal despontam entre os destinos favoritos dos brasileiros. Para esses e outros lugares, os millennials têm predileção de acessar diversas vezes a internet (29%) para pesquisar e planejar a próxima viagem.

As conversas com amigos seguem sendo o principal difusor de interesse entre todas as gerações, mas os millennials têm no compartilhamento de fotos em redes sociais e nos influenciadores digitais (49%) um motivador a mais.

Em relação a produtos, os consumidores brasileiros buscam primeiramente as passagens aéreas no canal direto (73%), enquanto as agências de viagens on-line (OTAs) aparecem logo atrás, com 68%. O mesmo não acontece com os hotéis, com apenas 38% de acesso nos sites das redes hoteleiras e 67% nas OTAs.

“A oferta hoteleira é muito mais pulverizada e, por isso, é mais fácil entrar lá [site de uma agência on-line]. Já o aéreo tem menos opções, pois em três ou quatro sites se resolve a compra”, explicou Carolina.

O uso do mobile é crescente em pessoas de todas as idades, sendo mais comum na millennial. Um total de 61% dos turistas brasileiros utiliza smartphones durante a viagem, revelou a Phocuswright.

Muito além de enviar mensagens para amigos e parentes em aplicativos, os turistas pesquisam as seguintes funções: encontrar lugares (67%), reserva de restaurantes (62%), pesquisar atrações (51%), pesquisar comprar em lojas (49%).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA