Empresas de hotelaria estão otimistas no primeiro semestre

|


Reprodução Hilton Garden Inn
Empresários de São Paulo têm as maiores expectativas de crescer no faturamento
Empresários de São Paulo têm as maiores expectativas de crescer no faturamento
O primeiro semestre do ano será positivo para a indústria de Turismo com o segmento de hospedagem. Uma pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo com 682 empreendimentos de todo o País revela que 67,6% dos empresários ouvidos pretendem realizar investimentos nos próximos meses e 47,8% acreditam no aumento de faturamento, configurando os maiores percentuais de otimismo verificados desde o início da pesquisa, em janeiro de 2018.

As maiores expectativas de aumento de faturamento com hospedagem foram verificadas entre os empresários de São Paulo (59,8%), Estado com a maior oferta de leitos do Brasil, Minas Gerais (59,3%) e Pernambuco (56,3%). Na projeção de realização de investimentos nos próprios negócios, os percentuais mais altos foram verificados em Pernambuco (25%), Rio Grande do Norte (23,1%) e Minas Gerais (22%).

No comparativo por regiões, o Norte e Centro-Oeste lideram com os maiores percentuais de hoteleiros dispostos a investir em seus estabelecimentos até julho com 21,2% e 19,9%, respectivamente. As demais regiões apresentam índices menores: Sudeste (17,6%), Nordeste (17,3%) e Sul (11,9%).

Sobre perspectiva de aumento de faturamento, está na frente a região Sudeste. Mais da metade dos empresários entrevistados da região (54,9%) esperam faturar mais até julho. Em seguida, os maiores percentuais de otimismo aparecem o Centro-Oeste (46%) e Nordeste (43,4%).


RESULTADO GERAL

No Brasil, a elevação do grau de otimismo entre os hoteleiros ocorreu em relação a seis dos sete itens pesquisados pela equipe técnica do Ministério do Turismo.

Depois do faturamento e da pretensão de investimentos, o maior percentual de expectativas positivas no quarto trimestre (44,8%) ocorreu no quesito demanda por serviços ofertados. Em seguida, com 43,4%, vem o crescimento da demanda pelo destino onde o empreendimento está localizado.

“O segmento de hospedagem é de extrema relevância para o Turismo e, por isso, funciona como um termômetro para medir o desempenho do setor como um todo. Se os hoteleiros estão otimistas é um bom sinal para a economia do Turismo”, afirma o ministro Marcelo Álvaro Antônio.

A curva ascendente na percepção do empresariado é verificada também na expectativa do aumento de número de turistas no destino (38,2%) e na rentabilidade do setor de Turismo como um todo (36%).

Somente no item de número de empregados houve leve retração em relação ao trimestre anterior, de 22,1% para 21,5%. Entretanto, no primeiro e no segundo trimestre de 2018, apenas 17% dos empresários tinham perspectiva de aumento ou manutenção dos postos de trabalho.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA