Mariana Aldrigui: Turismo no Brasil deve ter novas métricas

|


Marcelo Fonseca
A presidente do Conselho de Turismo da Fecomercio-SP, Mariana Aldrigui
A presidente do Conselho de Turismo da Fecomercio-SP, Mariana Aldrigui
O Turismo brasileiro precisa de uma nova análise de dados, na opinião da presidente do Conselho de Turismo da Fecomercio-SP, Mariana Aldrigui.

“Um país com a dimensão do Brasil não pode se dar ao luxo de replicar métricas internacionais”, ressalta Mariana, citando como exemplo recente pesquisa do WTTC, segundo a qual o Turismo brasileiro responde por 8% do PIB, número que seria considerado um pouco ampliado, já que só o comércio responde por 13,2%.

“Essa ampliação nos dados pode ser boa em discursos políticos, mas é ruim para a tomada de decisões”, salienta a presidente do Conselho de Turismo da Fecomercio-SP, comentando que o IBGE, por sua vez, pode ser considerada uma fonte confiável de informações sobre o Brasil.

"As informações do Turismo brasileiro são, em geral, aproximações e adaptações de dados que, quando comparados a outros setores no País se mostram frágeis e não confiáveis", conclui Mariana. Replicar métricas internacionais, segundo ela, distorce a expectativa e compromete a avaliação do setor por aqueles que não o vivenciam.

Acompanhe o Fórum PANROTAS on-line pelo Facebook. Clique aquie vá direto à transmissão.

O Fórum PANROTAS 2019 conta com aliança institucional da CNC Sesc Senac, patrocínio de Accor Hotels, Aerolíneas Argentinas, Air Europa, Alitalia, Assist Card, AM Resorts, Best Western Hotels & Resorts, Beto Carrero World, Elo, Fecomercio São Paulo, Gol, Delta e Air France-KLM, GTA Assist, Iberia/British, Iberostar, Localiza Hertz, Omnibees, Pegasus, R1 Audiovisual, Reserve, Royal Palm Hotels & Resorts, Sabre, Tes Cenografia, Villa Blue Tree, Visit Orlando, Wex, Wyndham Hotels & Resorts e apoio da Aviva, Cep Transportes, CVC Brasil, Pegasus Transportation, Tour House e Vice Versa.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA