71% dos brasileiros dizem que País não está preparado para covid-19

|

Pesquisa do Instituto Locomotiva revelou que, para 71% dos brasileiros, o País não está pronto para combater o novo coronavírus. "Apenas três em cada dez brasileiros acham que o País esteja preparado para a pandemia", diz o presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

Um ponto principal pesou quando as pessoas foram questionadas sobre esse assunto. “O principal era se o sistema público de saúde está pronto para receber os doentes e a impressão geral é de que não", explica Meirelles.

O receio diante do covid-19 é evidente em todas as regiões do Brasil e transversal em todas as faixas etárias. O levantamento mostra ainda que 86% da população está muito preocupada com a epidemia, outros 11% estão pouco preocupados e apenas 3% não estão.

Como medidas de contenção da transmissão do vírus, 97% da população se diz a favor do fechamento das escolas, mas 42% acreditam que os ônibus, trens e metrôs devem continuar circulando. Os brasileiros também defendem o fechamento do comércio. De acordo com o levantamento, 84% são favoráveis, 15% preferem que lojas fiquem abertas e 1% não soube responder.

Emerson Souza
Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva
Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva
Ainda assim, um terço dos entrevistados passou a comprar mais mantimentos para estocá-los em seus lares, enquanto 67% não acham necessário fazê-lo.

A pesquisa levou em consideração informações divulgadas sobre a doença e também o ponto de vista econômico dos brasileiros. “Quanto tempo dá para ficar na própria casa com seu dinheiro? Sob o ponto de vista econômico, na baixa renda, 8 em cada 10 brasileiros não têm poupança. Por não ter reservas, essa faixa da população vai ter de vender o almoço para comprar a janta”, diz Meirelles.

A pesquisa do Instituto Locomotiva foi feita na sexta-feira (20), por telefone, com 2.305 pessoas em todo o território nacional. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA