Como os millennials podem redefinir o futuro das viagens

|


Unsplash
A ILTM publicou em seu blog
uma análise de como os millennials, com sua inquietude e rompimento com os valores tradicionais, podem ditar o futuro das viagens neste momento de transformação da indústria. Segundo o artigo da ILTM, o desejo dos millennials de encontrar novos caminhos para enxergar o mundo é tão grande que, em um estudo da Deloitte do ano passado, 57% deles apontaram que ver ou viajar o mundo era sua ambição número um, acima de ganhar mais dinheiro, ter uma casa ou filhos.

Os millennials são a maior geração no planeta hoje, com 25% mais integrantes desse grupo do que os da geração anterior. Ou seja, além do desejo de mudar eles têm a força para isso, e sua ênfase em viajar e ter experiências pelo mundo tem de estar no radar de qualquer segmento de Viagens e Turismo, inclusive o luxo, foco da ILTM.

Os millennials com dinheiro são um segmento em ascensão, com muitos já na casa dos 30 anos e com um nível de educação já superior aos dos boomers. E se viajar está no topo da lista, rompendo com tradições como ter uma casa ou aumentar a família, eles podem ser um elemento chave na recuperação das viagens depois desse período de sofrimento global.

De acordo com a análise da ILTM, com a pandemia ainda entre nós, a geração millennial é a que deseja mais voltar a viajar, mesmo com as restrições e novos protocolos. A associação cita um estudo da Fuel Travel em que os millennials estão mais dispostos a viajar logo do que a geração X ou os boomers. Os millennials também teriam menos aversão ao risco que as demais gerações.

Isso se explica pelas características de rompimento com a tradição, mas também com a idade em si. O millennial mais velho ainda não completou 40 anos e não tem os problemas de saúde dos mais velhos, como os X ou os boomers. É uma geração que vive e se pergunta: se não for agora, quando será? Um grupo que já viveu vários momentos de incerteza em suas poucas décadas de vida e que vê a pandemia como mais uma delas. Basta lembrar que muitos começaram a trabalhar na crise financeira de 2008, pouco depois de terem vivenciado as mudanças do 11 de setembro. A geração, em uma citação da inRiver, aprendeu a se adaptar e a manter seus planos e sonhos.

“Algumas vezes rotulada de geração ansiosa, os millennials estão vivendo a busca por propósito em um dos períodos mais tumultuados da história e, sem surpresas, ao lado daqueles que viajam, procurando achar esse significado explorando novos terrenos e ondas”, analisa a ILTM. Dessa forma, os millennials devem apontar um caminho para a indústria durante o período de recuperação.

AS VIAGENS DOS MILLENNIALS

O artigo da ILTM fez um resumo de análises e estatísticas em relação às viagens dos millennials, que têm um mix de desejos quanto o assunto é viajar, compartilham essas viagens nas redes sociais e elas precisam ser acessíveis financeiramente (a idade média dos mais ricos do mundo é de 58 anos, vale destacar), autênticas, sustentáveis e abundantes em experiências.

- Segundo estudo da Booking.com, 78% dos millennials tendem a escolher opções sustentáveis de viagem enquanto planejam e reservam sua próxima jornada.

- Uma citação da Forbes diz que os millennials querem viver o momento e aproveitar e vivenciar experiências, em oposição a ter coisas.

- Dados do Telegraph destacados pela ILTM mostram que para 37% dos viajantes millennials a possibilidade de postar imagens e vídeos bonitos durante as férias influencia a escolha do destino.

- Já a Wandering RV revelou que cerca de 86% dos millennials escolhem experimentar uma nova cultura a ir a uma festa (44% das escolhas) ou fazer comprar (28%).

- Muitos millennials preferem economizar em uma acomodação para poderem gastar mais em experiências únicas (Eran Ketter).

A BOA NOTÍCIA

Segundo a ILTM, a boa notícia é que falar com os millennials não requer uma mudança radical em sua marca. “A maioria das coisas que eles querem é o que nós também queremos e muitos millennials já estão engajados com as viagens de luxo de forma inesperada para eles”, escreve a ILTM. Por exemplo, a disponibilidade deles em fazer reservas com um consultor ou agente de viagens. Pesquisa da The Advantage Travel Partnership mostra que 44% deles dão preferência à interação com um profissional, mesmo podendo fazer tudo de seu smartphone.

A ILTM termina seu artigo com a conclusão óbvia: o futuro é millennial. O dado demográfico está se transformando cada vez mais em um mindset que deve dominar a forma de pensar e transformar até outras gerações, especialmente a geração Z, que, assim como eles, prioriza o ato de viajar. São duas gerações que devem liderar as mudanças pós-covid-19 e influenciar as mais velhas.

“As viagens de luxo em 2021 serão sem dúvida diferentes e a indústria já mostrou incrível poder de adaptação ao pivotar para atender aos novos anseios e necessidades do mercado. Somado ao mindset dos millennials que transcende gerações, parece que estamos certos em estar esperançosos”, finaliza a ILTM.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA