Braztoa mostra otimismo com impacto da vacinação no 2º semestre

|

A Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo) avalia que alguns resultados positivos para a indústria de viagens devem começar a ser verificados nesse segundo semestre. Em pesquisa realizada a partir da impressão de associados e turistas, a entidade aponta que a vacinação é o fator chave para a retomada.

PANROTAS / Filip Calixto
Roberto Nedelciu, presidente da Braztoa, destacou o fator de interdependência como fundamental para o setor
Roberto Nedelciu, presidente da Braztoa, destacou o fator de interdependência como fundamental para o setor
De acordo com os índices apurados pela entidade, 71% das operadoras relataram que foram procurados por turistas vacinados, sendo que 29% das viagens comercializadas para esse público ocorrerão já em julho e 47% estão programadas para o segundo semestre deste ano

O relatório ainda informa que, embora o volume de faturamento ainda estar aquém do praticado antes da pandemia, na média dos 25%, uma percepção com viés mais positivo começa a ganhar força entre as operadoras, principalmente por conta do maior interesse do consumidor em adquirir ou planejar viagens.

Outro fator em destaque no levantamento é que 82% das operadoras acreditam que a aprovação da coronavac pela OMS trará efeitos positivos para o Turismo já no segundo semestre de 2021.

“O mercado ganhou novos contornos neste período pós pandemia e a noção do quanto somos interdependentes ficou ainda mais perceptível. Os destinos e os empreendimentos investiram em equipamentos, processos e treinamentos para receber bem os viajantes e estes, sabem que a segurança deles e das pessoas locais dependem de sua atitude de respeito aos protocolos sanitários também”, avalia o presidente da Braztoa, Roberto Haro Nedelciu.

“A flexibilidade nos roteiros e as experiências customizadas se tornaram ingredientes fundamentais para atender aos anseios de todos aqueles que contam os segundos para ter de volta sua liberdade de poder ir e vir, pelo Brasil e pelo mundo. Isso somado aos avanços da vacinação no Brasil e à aprovação destas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), criam um ambiente propício para a abertura das fronteiras e para que a engrenagem volte a girar, trazendo novas possibilidades para todo nosso setor”, completa.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA