Movida

Artur Luiz Andrade   |   21/12/2022 14:00   |   Atualizada em 22/12/2022 09:21

CVC escolhe Porto de Galinhas para primeiros investimentos do REprograma

Regeneração de corais nas piscinas naturais do destino está no centro das ações


Filipe Cadena/Biofábrica de Corais
A CVC e o recém-criado Instituto CVC, com apoio dos parceiros locais Luck Receptivo e Porto de Galinhas CVB, acabam de fechar parceria com a startup de biotecnologia Biofábrica de Corais, especializada em pesquisa e desenvolvimento em ciências físicas e naturais voltada à regeneração e conservação de ecossistemas recifais em Ipojuca – Porto de Galinhas (PE).

A CVC vai financiar, via Instituto CVC, a recuperação de corais na costa litorânea de Ipojuca, com implantação de novas mesas de cultivo de corais, em área controlada do oceano, contribuindo para a biodiversidade marinha, e em ações de turismo e educação ambiental. O projeto nasceu dentro da UFPE e está alinhado com os pilares do REprograma, lançado pela CVC Corp para suas ações de sustentabilidade (social, ambiental e de governança).

Essa é a primeira ação do REPrograma dentro do eixo de regenerar destinos, que, até 2030 escolherá dois biomas para receberem recursos para sua recuperação completa. Em 2022, em parceria com o Senac, a CVC já capacitou todos os guias e receptivos, além de colaboradores internos.

Além da regeneração de 600 fragmentos de corais - que vai dar origem a 30 colônias biofabricadas e que se somam à meta já realizada de 1,2 mil corais regenerados pela Biofábrica durante 2021-2022, a operadora de viagens realizará diversas ações educativas até março de 2023, em parceria com o time de biólogos e pesquisadores, com apoio da Luck Receptivo (seu parceiro em turismo receptivo na região há mais de 30 anos) e do Porto de Galinhas Convention Bureau, associação que reúne hotéis e pousadas parceiras.

Entre as ações previstas estão:
- blitz em cerca de 130 hotéis e pousadas parceiros na região, com foco em educação ambiental e divulgação da campanha aos consumidores “Adote um Coral”, para ampliar a capacidade de regeneração;

- duas capacitações para profissionais de Turismo, de resorts que também apoiam a causa ambiental - Vivá e Village -, para destacar a importância da regeneração dos corais na costa, como atividade geradora de riquezas ambientais e renda e seus efeitos no combate às ações climáticas;

- duas ações in loco de voluntariado em Turismo regenerativo, para exemplificar na prática como é feito o processo de regeneração, sendo uma envolvendo colaboradores e franqueados CVC da região, e outra com cunho em educação socioambiental, com crianças e adolescentes da rede de ensino municipal. Será a primeira ação da CVC com voluntários que não são colaboradores – caso do trade local e das franquias;

- divulgações aos clientes CVC, com viagens agendadas no período, com envio do Guia do Viajante Consciente CVC (disponível na plataforma de conteúdo CVC+) e convite à causa “Adote um Coral”. Por R$ 60 os viajantes podem colaborar diretamente com a Biofabrica;

- famtour com franqueados da CVC pelo Brasil, que mais realizam reservas para o destino, para realizarem visita técnica conhecendo novidades em atrações turísticas e empreendimentos hoteleiros da região, incluindo visitação às ações em turismo regenerativo, resiliência costeira e conservação de ambientes.

Divulgação/Biofábrica de Corais/Filipe Cadena

EXPERIÊNCIAS COM IMPACTO POSITIVO

O próximo passo do projeto em Porto de Galinhas será a criação de experiências no destino com impacto positivo para a região. A própria Biofábrica já possui alguns tours e atividades, comandados por biólogos, e a CVC espera poder comercializar essas experiências em parceria com a Luck Viagens. São atividades que o cliente geralmente não compra com antecedência, segundo a operadora.

Rudã Fernandes, engenheiro de pesca e CEO da Biofábrica de Corais, destaca que “a chegada da maior operadora de viagens CVC e da Luck Receptivo à Biofábrica de Corais reforçam o compromisso de longo prazo desses dois importantes operadores, em contribuírem com a regeneração e a conservação das piscinas naturais, também impulsionando a nossa capilaridade, na geração de renda à comunidade, no engajamento junto à cadeia produtiva do turismo da região e, ainda, possibilitando levar experiências únicas e sustentáveis até a ponta, para os turistas, para que o destino também seja referência em sustentabilidade”.
Leonel Andrade, CEO da CVC Corp, destaca que “a iniciativa reforça ainda mais o papel de liderança e protagonismo do grupo, que ao longo de 50 anos de história vem contribuindo para o desenvolvimento do setor de viagens e, desde 2021, incluindo em sua atuação e gestão, o avanço na sustentabilidade e diversidade, através do REprograma CVC Corp, para oferecer sempre a melhor experiência aos clientes”.

PANROTAS / Emerson Souza
Leonel Andrade, CEO da CVC Corp
Leonel Andrade, CEO da CVC Corp
Todos os hotéis e pousadas da região poderão aderir à campanha “Adote um Coral” e, adicionalmente, caso tenham interesse em ampliar a atuação do hotel na sustentabilidade da região, a Biofabrica oferece opções de patrocínios/apoios que também podem contemplar sessões educativas com times e/ou clientes sobre a importância do turismo regenerativo.

Essa iniciativa tem como objetivo mobilizar toda a cadeia produtiva do setor, visto que a manutenção dos corais é fonte de renda para pesca, economia e turismo local, e está alinhada com os objetivos estratégicos do Pacto Global da ONU, que nomeou o período de 2021-2030 como a Década da Restauração de Ecossistemas, convocação para a proteção e revitalização dos ecossistemas em todo o mundo, para benefício das pessoas e da natureza, no alcance dos objetivos globais da ONU. A CVC é signatária do Pacto Global da ONU desde 2021.

PARCEIROS: LUCK RECPETIVO

PANROTAS / Emerson Souza
Juliana Luck, da Luck Receptivo
Juliana Luck, da Luck Receptivo
A Luck Viagens, como líder do receptivo em Porto de Galinhas e outros destinos do Nordeste, se encantou com o projeto da Biofabrica, que conheceu em um evento na região. “A gente vive do Turismo e se não houver esse trabalho de regeneração nas piscinas naturais de Porto de Galinhas, um dos cartões-postais do nosso destino, até 2030 90% estariam comprometidos”, explica Juliana Luck, diretora executiva da Luck Receptivo.

Depois dos primeiros contatos com Rudã, a Luck passou a fazer um trabalho com os guias e colaboradores, por meio da Biofabrica, para que todo o ecossistema da região se capacitasse e entendesse o projeto. A empresa aderiu ao projeto e a chegada da CVC foi natural, pois a Luck é fornecedora exclusiva da operadora há mais de 30 anos e acabara de lançar deu projeto de sustentabilidade. “Fomos a primeira empresa regional a aderir e agora com o alcance e a força da CVC o projeto ganhará mais visibilidade e força, engajando os turistas, os colaboradores dos hotéis e atrações, todo o ecossistema de Turismo em Porto, como o CVB e os hotéis.”

instituto cvc

Divulgação/CVC/Biofábrica de Corais
Criado há um ano, o Instituto CVC começa a sair do papel e tem estrutura voluntária de diretores da CVC Corp. O próprio CEO, Leonel Andrade, preside o instituto, que também conta com Eliane Lapa, Natália Torres, Jeanine Pires, Bruno Heleno, Bruno Brasil, Paula Domingues, Marjorie Cobo e Marcela Ciasca, com a gestão de Priscila Bures e Larissa Beck.

O objetivo do instituto é educar e ajudar em projetos de sustentabilidade em destinos operados pela CVC, e para isso a empresa faz um mapeamento de oportunidades em todo o Brasil, seja participando e apoiando iniciativas já existentes, criando projetos próprios, fomentando negócios locais e apoiando as comunidades.

A meta também inclui melhorar os destinos e as experiências dos clientes e levar mais produtos com impacto positivo para a prateleira das lojas e agentes de viagens.

Visite https://www.institutocvc.com.br/.

PARCEIROS: PORTO DE GALINHAS CVB

PANROTAS/Beatriz Contelli
Otaviano Maroja
Otaviano Maroja
“O Porto de Galinhas Convention acreditou na Biofábrica de Corais desde o primeiro contato, pois sabemos da importância de projetos inovadores que promovam a educação ambiental e a sustentabilidade em nosso destino. Nós como instituição estamos trabalhando para promover a integração dos hotéis com o projeto e com essa ação em conjunto com a CVC e o Instituto CVC, vamos ajudar a promover e divulgar ainda mais a Biofábrica. Serão realizadas blitzes educativas na rede hoteleira, capacitações, divulgações em mídia, entre outras atividades. Uma ação de extrema importância para a preservação dos corais de Porto de Galinhas”, comenta o presidente do Porto de Galinhas CVB, Otaviano Maroja.

BIOFÁBRICA DE CORAIS

Divulgação/Acervo Pessoal
Rudã Fernandes, CEO da Biofábrica de Corais
Rudã Fernandes, CEO da Biofábrica de Corais
A Biofábrica de Corais nasceu oficialmente em 2017 como resultado de um amplo estudo científico realizado por equipes de biólogos e pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco, que implantaram técnica de última geração para cultivos de corais no litoral de Ipojuca (PE).

A técnica consiste em implantar fragmentos de corais em berços feitos por materiais biodegradáveis, implantados ao fundo do mar, feitos sob medida para cada espécie de coral. As mudas são plantadas em estruturas de cultivo e, após alguns meses submersas sob cuidados do time de restauração da Biofábrica de Corais, já podem ser transferidas e voltam a se reconectar no oceano e o seu papel na natureza. Segundo pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco, 80% dos corais conseguem rebrotar e cerca de 2 mil fragmentos foram recuperados em 5 anos.
Os recifes de corais são chamados de “florestas do oceano”, por causa da riqueza da biodiversidade. Um quarto das espécies marinhas depende dos corais para se abrigar, reproduzir ou se alimentar.

A lógica buscada pela startup é desenvolver uma engrenagem que possibilite acelerar a restauração dos corais. “As experiências foram construídas de forma a unir a ciência que praticamos no ecossistema recifal às melhores práticas do turismo regenerativo. Estamos focados em mostrar que é possível interagir com a natureza e voltar para casa deixando para trás um cenário melhor do que encontramos”, afirma Rudã Fernandes, CEO da Biofábrica de Corais.

“O projeto é uma iniciativa que busca restaurar recifes de corais. Tem como perspectiva se integrar a diversos setores da economia, de forma que faça com que mais pessoas reconheçam a importância da conservação dos corais na manutenção do seu estilo de vida. É incubado pela WWF Brasil, a fundação grupo Boticário e a UFPE. E o apoio da CVC é estratégico na consolidação do nosso esforço em fazer o setor turístico adotar uma pauta positiva em relação aos corais. Abre perspectivas para um novo paradigma no setor onde o turismo regenerativo ganha força”, disse Rudã Fernandes ao Portal PANROTAS. Segundo ele, Jaqueline Gil, da amplia mundo, foi a consultora de design do projeto, e também ajudou na ponte com a CVC.

Saiba mais: https://biofabricadecorais.com/ e www.institutocvc.com.br.

Tópicos relacionados

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

Mais notícias