Empresas de capital aberto aderem a tecnologias para viagens corporativas

|


Divulgação
Marcas como JBS, Weg, Seara, e Cogna, listadas na Bolsa de Valores, são exemplos de corporações que utilizam sistemas da Paytrack e que, a partir da tecnologia desenvolvida pela empresa, podem monitorar de forma transparente os recursos, garantindo o cumprimento das políticas de viagens e reembolsos
Marcas como JBS, Weg, Seara, e Cogna, listadas na Bolsa de Valores, são exemplos de corporações que utilizam sistemas da Paytrack e que, a partir da tecnologia desenvolvida pela empresa, podem monitorar de forma transparente os recursos, garantindo o cumprimento das políticas de viagens e reembolsos
Seja na relação interna ou ainda com fornecedores, ter um workflow simples e transparente é um passo fundamental para o compliance de grandes empresas. Especialmente para grandes negócios que atuam na Bolsa de Valores, evidenciar as boas práticas de gestão e garantir uma reputação atrelada a ESG, duty of care e transformação digital é manter-se em evidência para investidores e, consequentemente, garantir resultados financeiros positivos.

Ainda assim, pesquisas como a realizada pela empresa de governança Kroll mostram que 41% dos negócios brasileiros sentem dificuldade em identificar vulnerabilidades na relação com fornecedores e combater práticas que criam barreiras para o compliance dos negócios.

É neste cenário que cresce a procura por soluções que trazem automação e maior controle sobre os processos de gestão de viagens corporativas e despesas. A Paytrack, por exemplo, especializada em automação para o segmento, tem em seu portfólio nomes líderes de mercado, como JBS, WEG, Seara, Sicredi, Apsen e Cogna. “Nestas companhias, o volume de viagens a trabalho é considerável e despesas não ajustadas intercorrem em prejuízos que impactam diretamente o nível de compliance e governança. Não se trata apenas de um problema de gestão interna, mas da segurança que a empresa passa para seus investidores. Automatizar processos para tornar a auditoria mais frequente e confiável, além de eliminar custos desnecessários é o que estes negócios procuram conosco”, diz Cibeli Oliveira, diretora de CX da Paytrack.

Além do compliance, a automação para gerenciamento e aplicação de políticas de viagem têm se tornado uma forte aliada para a redução de desvios nas empresas. O problema, aliás, é um dos que mais causa dor de cabeça aos gestores: um estudo recente da PwC apontou que 46% dos negócios brasileiros foram atingidos por fraudes entre 2018 e 2019.

Para Cibeli, outro fator que tem definido a busca de automação é o ganho de tempo e produtividade que a tecnologia traz. “A nossa plataforma permite ao colaborador realizar todas as ações relacionadas a viagens, despesas e prestação de contas pelo aplicativo, simplificando o processo e melhorando a experiência. Além disto, a administração de todo fluxo, desde o orçamento e planejamento das viagens, passando pela compra de serviços, despesas e reembolsos, conciliação de faturas de cartão de crédito, até a integração com os sistemas de RH e backoffice da empresa, é realizado em uma única plataforma, atribuindo mais transparência, controle e segurança de dados. Ou seja: com um processo gerenciado via plataforma especializada é possível não só ter acesso às melhores ofertas de passagens, hospedagens e outras despesas, como também dar ao colaborador mais tempo para atividades estratégicas que impactem na melhoria contínua do negócio”, afirma.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA