TURISMO

ONU: Eliminar apenas canudos de plástico não é o suficiente


Emerson Souza
Fernanda Daltro, da ONU Meio Ambiente
Fernanda Daltro, da ONU Meio Ambiente
ILHABELA (SP) – Várias empresas do Turismo estão eliminando canudinhos de plástico de suas rotinas, mas apenas esta ação é o suficiente para um cenário mais sustentável? A coordenadora da campanha Mares Limpos da ONU Meio Ambiente e jurada do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, Fernanda Daltro, explica que a iniciativa serve apenas como porta de entrada para algo mais efetivo.

“É uma questão de perceber os problemas e buscar soluções sistêmicas, integrais e não ficar meramente com o que está na moda. O canudo precisa ser entendido como plástico descartável e o objeto não é necessariamente o problema. Se não há uma abordagem real, que foca apenas em um item específico, o restante não se resolve. E o legislador não pode só aproveitar uma oportunidade de marketing, mas também compreender e sensibilizar-se”, afirma Daltro.

A campanha Mares Limpos foi lançada em junho de 2017 e trata-se de uma visão de médio prazo para tentar mudanças efetivas. Cerca de 80% do plástico chega aos mares pelos rios, orlas e impacto do Turismo. A ONU faz um trabalho de conscientização para que o mundo reveja a forma que se produz, aplica, consome e descarta o material.

“Para a indústria do Turismo, é muito importante criar um inventário do uso de plástico descartável. Com isso, dá para identificar onde se está utilizando o material nas operações e avaliar o que é possível mudar, especialmente para quem fica em região de costa, mas não exclusivamente a essas empresas. Todos podem contribuir e quando há uma mudança na mentalidade geral, o consumidor fica mais ciente e recusa utilizar objetos de plástico descartável”, sugere.

O Portal PANROTAS viaja a convite da Braztoa
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA