Rede paraibana fecha parceria com artesãos de Tambaba

|

Divulgação/PBTur
A artesã Raquel, de Tambaba (PB)
A artesã Raquel, de Tambaba (PB)
A rede Nord Hotels, grupo genuinamente paraibano, está a cada dia mais integrada com projetos de ações sociais e de apoio à cultura e valorização da terra, na Paraíba. A nova ação e parceria foi fechada com a comunidade do assentamento rural Tambaba, na Costa do Conde, litoral sul da Paraíba. A Nord está apoiando com a comercialização dos itens produzidos da Doce de Tambaba. Itens de utensílios de serviço da área de lazer da rede serão feitos por artesões deste projeto, desde o serviço da água de coco aos petiscos.

Segundo Patrícia Cantalice, o projeto surgiu durante o isolamento social, causado pela pandemia de covid-19, quando todos tiveram que se reinventar. A diretoria da Nord disse que a rede sempre está atenta às atividades econômicas e que os projetos que possam apoiar de alguma forma os pequenos produtores sempre estão em análises. Além de apoiar, Patrícia acredita que oferece um diferencial para a clientela que frequenta as unidades da Nord, na Paraíba.

Um desses exemplos é da artesã Raquel, que decidiu entregar seus produtos na casa dos clientes. "Sem poder receber os clientes, criamos o Clube do Doce e passamos a entregar doces caseiros na casa das pessoas e, junto a esse novo modo de trabalhar, veio a necessidade de entregar a cada família um pouco da nossa história", conta.

Raquel colhe as palhas dos coqueiros do seu quintal e as transforma em cestas, que passaram a embalar os kits de doces. O mimo foi tão bem aceito que hoje é nova fonte de renda. Ela tem recebido muitas encomendas e criado peças para fins variados.

Divulgação/PBTur
Exemplo do trabalho dos artesãos para a rede Nord
Exemplo do trabalho dos artesãos para a rede Nord

SHOPPING A CÉU ABERTO

A história de empreendedorismo da Raquel vem de longe. A comunidade rural Tambaba, liderada pela matriarca Luíza e Nevinha, uma de cinco irmãs, deixou o comércio de doces e frutas na beira da estrada para se instalar em uma casa de taipa, onde começaram a vender a pequena produção de doces caseiros, cachaça artesanal e algumas peças de artesanato.

Orientada pelo Sebrae da Paraíba, a família cresceu, assim como o pequeno empreendimento. De uma simples casa de taipa, foram construídas outras cinco, com a venda de produtos diferenciados, como os tradicionais doces, cachaça, bolos, sucos, tudo utilizando os produtos da região.

Cada irmã ficou com um tipo de produto. Todas deixaram de trabalhar em pousadas e restaurantes da região para viver com o seu próprio sustento. Cada uma tem a sua renda - cerca de um salário mínimo -, mas Nevinha disse que existe ajuda mútua, quando falta dinheiro para uma conta de uma, todas fazem uma cota e ajudam.

Antes de pandemia, o Shopping a céu aberto era um dos roteiros mais procurados pelos turistas. A comunidade recebia mais de mil pessoas na semana, maior parte delas nos finais de semana. As empresas de receptivo e bugueiros fazem daquele ponto uma das paradas obrigatórias.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA