Aérea chinesa compra 22 aeronaves da Embraer | Aeroportos | PANROTAS
AEROPORTOS

Aérea chinesa compra 22 aeronaves da Embraer

Netto Moreira
(divulgação)
A Embraer e a aérea chinesa Tianjin Airlines, subsidiária do Grupo HNA, assinaram hoje acordo para a venda de 22 aeronaves, das quais 20 do modelo E195 e duas E190-E2. O valor do contrato é de US$ 1,1 bilhão. Em julho do ano passado, o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que a empresa encomendaria um total de 40 aviões. Os outros 18, de acordo com a Embraer, farão parte de uma compra futura.

Também segundo a empresa brasileira, o primeiro E195 será entregue ainda este ano, e o primeiro E190-E2, somente em 2018. “A China está crescendo muito rapidamente e há necessidade por jatos narrow-body menores para apoiar operações de alimentação de tráfego em grandes aeroportos (denominadas hub and spoke), complementando operações de aeronaves narrow-body maiores. Assim, proporciona-se um equilíbrio ideal entre frequência e disponibilidade de assentos, incentivando o desenvolvimento de novos mercados com menor risco e capacidade incremental – o que gera uma demanda significativa para novas aeronaves nesta categoria”, comenta o presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial, Paulo César Silva.

A Tianjin foi o cliente-lançador do E190 na China e opera a maior frota de E-Jets na Ásia, com 50 jatos E190. Também foi a primeira empresa chinesa apontada como Centro de Serviço Autorizado pela Embraer no país. Recentemente, a companhia aérea anunciou a contratação do Embraer Ahead-Pro para todas suas aeronaves, tornando-se o primeiro usuário desse sistema na China.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA