Câmbio salva vendas internacionais aéreas da Abracorp

|

PANROTAS / Emerson Souza
Os dados da Abracorp do terceiro trimestre do ano (julho a setembro) mostraram que as vendas de passagens aéreas internacionais totalizaram R$ 1,2 bilhão, um aumento de 32% sobre o mesmo período de 2014, gerado pela desvalorização do real. Em dólares houve queda, como mostram todos os relatórios de vendas, como o Boss e o Smash, baseados em dados da Iata. Em 1º de julho do ano passado a moeda americana valia R$ 2,2. Em 30 de setembro do mesmo ano R$ 2,4. Contra R$ 3,1 e R$ 3,9 este ano, respectivamente.

Em número de bilhetes emitidos, houve crescimento de 17,4%, chegando a 376,6 mil. O problema foi o tíquete médio muito baixo.

Informações obtidas pela PANROTAS mostram que a queda no internacional no mercado em geral está em torno de 15% em relação ao ano passado, em reais. Em dólares seria 35%. Mas somente em setembro essa queda foi de alarmantes 53%.

A Tam liderou em vendas, com R$ 183,3 milhões, crescimento de 28% em reais. Foi seguida pela American Airlines (R$ 139 milhões, +20%), Air France-KLM (R$ 109,7 milhões, +48,1%), Lufthansa/Swiss (R$ 103,8 milhões, +46,4%), British/Iberia (R$ 78,6 milhões, +11,9%), United Airlines (R$ 69 milhões, +12%), Tap (R$ 64 milhões, +15,7%), Delta Air Lines (R$ 44,6 milhões, +12,9%) e Copa Airlines (R$ 44,6 milhões, +12,9%). As demais somaram R$ 355,6 milhões (+51%).

Em bilhetes, a Tam liderou com 55,3 mil, seguida da AA, com 42,2 mil, Air France-KLM, com 26,8 mil, British/Iberia, com 19,4 mil, Lufthansa/Swiss 19,3 mil, Delta 19,2 mil, United 18 mil, Tap, 18 mil e Copa 17,3 mil. Sofreram queda na emissão de bilhetes a Tap (-6,1%) e a Copa (-28,5%).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA