Atenção: GRU Airport troca numeração dos terminais

|

Netto Moreira
T-3 continua com o mesmo nome
A partir do próximo dia 2, os terminais do Aeroporto de Internacional de São Paulo (GRU Airport) ganharão novos números. O objetivo da mudança é estabelecer uma sequência lógica entre os espaços para facilitar a orientação dos passageiros.

Com a troca, o Terminal 4 passa a ser o 1 e, unificados, os atuais Terminais 1 e 2 passam a formar Terminal 2. O Terminal 3 é o único que não sofrerá alterações.

A nova estrutura do aeroporto também inclui a renumeração dos portões de embarque e check-ins. No dia 17 de dezembro, o Terminal 1 terá portões com numeração a partir de 100. O Terminal 2, a partir de 200, e o Terminal 3, de 300. Os mesmos números valem para as esteiras de restituição de bagagens dos seus respectivos terminais.

Enquanto isso, a identificação dos check-ins por terminal ficará desta forma: check-in “A” no Terminal 1, check-ins “B”, “C”, “D” e “E” no Terminal 2 e check-ins “F”, “G” e “H” no Terminal 3.

ADAPTAÇÃO
Todas as sinalizações do complexo aeroportuário, inclusive as placas da rodovia de acesso ao GRU Airport, serão atualizadas para evitar transtornos. De acordo com a organização do local, o projeto é baseado em ouvidorias, sugestões de companhias aéreas, rondas e análise do fluxo de passageiros.

RETROFIT
Uma das principais mudanças no projeto de modernização dos atuais Terminais 1 e 2 é a centralização do embarque doméstico e do setor de raio-X, que começam a operar no dia 2 de dezembro, assim como a nova numeração dos terminais. Vale lembrar que o embarque internacional do Terminal 2 continuará sendo feito pelo mesmo local, até sua transferência para a área centralizada.

A estrutura antiga contava com quatro áreas de embarque, duas em cada terminal, considerando voos domésticos e internacionais. Dentro do novo projeto, todos os viajantes irão acessar a área de embarque por um único local e depois migrar para o portão do seu voo.

Além disso, o retrofit prevê a ampliação de setores-chave do aeroporto, como check-in, restituição de bagagem e saguões de embarque e desembarque. Ao todo, serão acrescentados 23 mil metros quadrados de área operacional e 4,6 mil metros quadrados de áreas de alimentação e lojas. O projeto ainda quer construir a Avenida GRU na área restrita, um ambiente destinado apenas para lojas, restaurantes, bares e com vista para o pátio de aeronaves.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA