Contra o Brexit, Ryanair pede licença de voo no Reino Unido

|

Divulgação/Ryanair
Aérea irlandesa não quer que um desfecho do Brexit afete sua operação nos céus britânicos
Aérea irlandesa não quer que um desfecho do Brexit afete sua operação nos céus britânicos
Já pensando nas consequências do Brexit, a Ryanair entrou com um pedido para adquirir uma licença de voo no Reino Unido. A decisão da companhia baseada na Irlanda surge como medida de prevenção contra uma possível restrição para operar em rotas domésticas pelos céus britânicos.

Em contato com o portal Travel Weekly, a aérea justificou o pedido via comunicado: "[Essa permissão] pode ser requisitada em três de nossas rotas internas no Reino Unido com a conclusão do Brexit, em março de 2019".

Atualmente, o acordo de aviação que rege os céus europeus garante que aéreas dos 28 países membros da União Europeia possam voar livremente dentro e fora do Reino Unido. Após o final do processo de destituição junto à UE, os britânicos deverão negociar novos termos para a operação aérea, podendo afetar três rotas internas da aérea: Londres-Glasgow; Londres-Edimburgo; Londres-Belfast.

O movimento da Ryanair segue de encontro ao de companhias como a britânica Easy Jet, que recentemente inaugurou uma subsidiária austríaca para não correr o risco de ser afetada pelas definições do Brexit, e da húngara Wizz Air, que também pediu a mesma permissão da irlandesa ao governo do Reino Unido.


*Fonte: Travelweekly

conteúdo original: http://bit.ly/2EUVtbP
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA