Nova aérea, Brava estreia em fevereiro de 2013

|

PANROTAS / Emerson Souza
Na home e acima, a logomarca da Brava Linhas Aéreas e um dos Let 410 da frota da empresa, que ainda se chama e opera sob o nome NHT Linhas Aéreas. Mudanças só em fevereiro de 2013 (imagens divulgação)
Na home e acima, a logomarca da Brava Linhas Aéreas e um dos Let 410 da frota da empresa, que ainda se chama e opera sob o nome NHT Linhas Aéreas. Mudanças só em fevereiro de 2013 (imagens divulgação)
Em fevereiro do próximo ano uma nova companhia aérea deve estrear de fato nos céus do Brasil. É a Brava Linhas Aéreas, novo nome da gaúcha NHT Linhas Aéreas. A Brava, no entanto, ainda não pode usá-lo oficialmente pois depende de autorização da Anac.

A NHT foi comprada em maio desse ano pelo grupo catarinense Acauã, liderado pela família do empresário Jorge Barouki. A NHT foi fundada em 2006 pelo grupo gaúcho JMT, tem sede em Porto Alegre, possui 100 funcionários e faz a ligação entre 14 municípios nos Estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná e de São Paulo (apenas na capital, em Congonhas). A frota é formada por seis aeronaves Let 410 UVP E-20, configuradas para 19 passageiros e dois tripulantes, fabricadas na República Tcheca.

O Portal PANROTAS entrevistou, por e-mail, a supervisora comercial da NHT, Daiana Skieres, que revela detalhes de como será a operação da Brava, a frota, o relacionamento com os agentes de viagens e a malha. Leia a entrevista abaixo.

Portal PANROTAS – A empresa já se chama oficialmente Brava Linhas Aéreas?
Daiana Skieres – Ainda não. A companhia permanece com o nome NHT Linhas Aéreas, pois estamos aguardando aprovação da Anac para efetuar a troca do nome da companhia oficialmente.

PP – A Brava continuará usando os Let 410 ou terá outras aeronaves?
Daiana – Atualmente permanecemos operando com aeronaves Let 410, que serão substituídos por aviões Embraer 120. Conforme planejamento da companhia, o primeiro avião tem previsão de chegada em 40 dias após o final desde ano. Até o final de 2013, a companhia deverá agregar mais nove aeronaves do mesmo modelo na frota, totalizando dez aeronaves.

PP – Qual é a proposta da nova companhia?
Daiana – A Brava nasceu com uma visão ambiciosa de, em cinco anos, estar entre as melhores companhias aéreas do Brasil. Seus fundadores não querem só o reconhecimento do mercado e o crescimento que foi planejado, eles querem essencialmente conquistar a reputação de ser a companhia aérea mais admirada pelo público mais importante do nosso negócio: os nossos clientes. A companhia nasceu com o objetivo principal de resgatar a filosofia de bom serviço de bordo.

PP – Haverá mudanças na malha? Quando?
Daiana – A nova malha ainda está sendo estudada. Está sendo efetuado uma análise da infraestrutura dos principais aeroportos das cidades com maior potencial econômico, para que seja avaliado a possibilidade de operar nestas cidades, com as novas aeronaves. Após finalizado este estudo pelo Setor de Planejamento da Brava será solicitado à Anac a alteração de malha da companhia e a divulgaremos à imprensa. Provavelmente esta divulgação acontecerá em meados de fevereiro de 2013.

PP – Como será o relacionamento com os agentes de viagens?
Daiana – A Brava irá estreitar o relacionamento com os agentes de viagens, pois os fundadores acreditam que os agentes são uma extensão da empresa no mercado. O sucesso de uma companhia aérea depende deste apoio, e a companhia pretende promover um trabalho em equipe, promovendo planos de incentivos para nossos parceiros.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA