Tam elimina 1ª classe e promete melhoras na executiva

|

Netto Moreira
Jerome Cadier, vice-presidente de Marketing do Grupo Latam
A Tam anunciou que, a partir de 1º de novembro, passa a não trabalhar mais com a primeira classe nos voos para Estados Unidos, Europa (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália) e México. O objetivo, segundo a empresa, é aprimorar os serviços da executiva nos Boeings 777, com a inclusão de assentos que, “quando totalmente reclinados, terão 84 polegadas (213 centímetros) – ou seja, 15% a mais do que o atual”.

“Com essa mudança, conseguiremos oferecer um serviço mais aprimorado e para mais clientes, bem como um atendimento ainda melhor e mais personalizado”, explica o vice-presidente de Marketing do Grupo Latam, Jerome Cadier.

A aérea informa ainda que a adaptação das poltronas da executiva ocorrrá de forma gradual em todas as aeronaves B777, com previsão de término até o fim do primeiro semestre do ano que vem. As passagens para a primeira classe deixam de ser vendidas a partir de hoje.

CHEFE DE BORDO

Outra novidade anunciada pela companhia é que, também a partir de 1º de novembro, os voos internacionais operados por aeronaves de dois corredores, terão um tripulante com a responsabilidade de ser o chefe do voo, cujo cargo será o de “chefe de serviço de bordo”. De acordo com a Tam, o profissional vai circular pelas diferentes classes para assegurar a consistência dos serviços oferecidos.

“Nossos esforços estão focados para que os passageiros tenham uma experiência de viagem cada vez melhor, com serviços de qualidade e de forma consistente”, complementa Cadier.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA