Governo deve prorrogar isenção de visto e incluir China

|

O governo quer estender a isenção unilateral de vistos decidida em conjunto pelos ministérios do Turismo, da Justiça e das Relações Exteriores, aplicada em 1º de junho. A renovação da medida começou a ser estudada após a divulgação de um balanço realizado pelo Ministério do Turismo. De acordo com a pesquisa, dos 53,3 mil turistas da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos e do Japão que participaram da Olimpíada, 75% se beneficiaram da isenção.

O diretor de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco de Salles Lopes, destacou que os 75% de turistas favorecidos pela isenção de visto representaram 40 mil pessoas não residentes durante o evento esportivo. “Isso, multiplicado pelo valor de gasto médio durante a Olimpíada, que é pouco mais de US$ 1,2 mil, nos deu um total de US$ 48,5 milhões”, disse.

O diretor observou, porém, que o montante de recursos que ingressaram no Brasil poderá ser ainda maior, considerando que a isenção vale até o encerramento da Paralimpíada, marcado para o próximo dia 18. O estudo do ministério revelou ainda que 82,2% dos turistas estrangeiros afirmaram que a dispensa do visto facilitaria o retorno ao País.

Na avaliação do ministro interino do Turismo, Alberto Alves, a sondagem comprova o acerto da estratégia do governo federal. Para ele, não há dúvida de que o Turismo será um dos principais legados que os jogos deixarão para o Brasil. “O mundo se encantou com a hospitalidade do brasileiro e com as belezas dos nossos atrativos”, afirmou.

Lopes também argumentou que a Organização Mundial do Turismo (OMT) defende a isenção de vistos. Isso porque, segundo outros estudos, quando um país concede a isenção, aumenta, em média, 20% a entrada de pessoas e de dinheiro. Considerando que, no ano passado, vieram ao Brasil 759 mil turistas dos Estados Unidos, do Japão, da Austrália e do Canadá, que gastaram US$ 876 milhões, o diretor estimou que se estivesse funcionando uma estrutura de isenção de vistos semelhante à de 2015, haveria um gasto extra de US$ 175 milhões desses visitantes.

O ministério calcula que a manutenção da isenção de forma permanente provocaria impacto positivo na economia nacional da ordem de US$ 175,2 milhões por ano, devido ao aumento de 20% no fluxo de turistas dos quatro países citados.

A PRORROGAÇÃO

O Ministério do Turismo já teve uma primeira reunião com a Casa Civil da Presidência da República e o Ministério das Relações Exteriores para tratar da possibilidade de estender o prazo de isenção do visto. Segundo a assessoria de imprensa do ministério, embora o encerramento ocorra no dia 18 deste mês, pessoas dos quatro países beneficiados que entrarem até essa data poderão permanecer no Brasil por mais 90 dias.

A extensão da isenção a mais países está sendo analisada com foco especial na China. Dados da OMT referentes a 2014 mostram que 100 milhões de chineses viajam pelo mundo a cada ano. Desse total, apenas 57 mil vieram ao Brasil em 2014, segundo o Anuário Estatístico do Ministério do Turismo.


*Fonte: Agência Brasil

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA